Cocaína contribuiu para o afogamento de Whitney Houston

Consumo da droga levou a afogamento acidental da cantora, conclui polícia de Los Angeles

A cantora americana Whitney Houston foi mesmo vítima de um afogamento acidental, concluiu nesta quinta-feira a polícia de Los Angeles, que cuida do caso da cantora, encontrada morta no dia 11 de fevereiro, aos 48 anos. Uma quantidade não divulgada de cocaína e problemas cardíacos, no entanto, colaboraram para o afogamento da cantora, de acordo com o relatório policial, noticiado pelo site americano TMZ.

Uma fonte ouvida pelo site disse que ser “muito provável” que Whitney Houston tenha sorfido um ataque cardíaco, perdido a consciência e então se afogado. E esse ataque cardíaco seria resultado do consumo de cocaína.

A polícia, porém, não encontrou sinal da droga no quarto de hotel em que Whitney Houston morreu.

Sucesso comercial nos anos 1980 e 90, Whitney tinha a saúde estava visivelmente debilitada nos últimos tempos por causa de seus problemas com as drogas.

A cantora, que se preparava para reaparecer no cinema em uma nova versão de Sparkle, seu primeiro papel cinematográfico desde Um Anjo em Minha Vida, de 1996, morreu na véspera da 54ª entrega anual dos prêmios Grammy.