Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cira: o melhor acarajé de Salvador

No ano em que completa cinco décadas à frente de seu tabuleiro, a baiana vence pela 15ª vez a disputa na categoria

O bolinho tingido pela imersão no azeite de dendê tem tamanho suficiente para preencher a palma de uma mão. Cortado ao meio, revela o contraste da superfície dourada com o miolo alvo e macio. Ainda quente, recém-saído do tacho de fritura, recebe uma pincelada de molho de pimenta e é recheado com vatapá, salada de tomate e generosos camarões secos. Sempre nessa ordem, seguindo a fórmula cinquentenária de Jaciara de Jesus Santos, a Cira, é montado o acarajé que coleciona quinze prêmios em edições de VEJA COMER & BEBER. Durante o preparo do quitute campeão, o feijão-fradinho fica de molho por pelo menos três horas antes de ser triturado e batido até virar um creme aerado, que é frito a colheradas. O resultado pode ser conferido nos acarajés e abarás, estes envoltos em folha de bananeira, cozidos no vapor e servidos com as mesmas guarnições. Qualquer um dos dois é vendido por R$ 10,00 na versão completa. Em Itapuã, bairro em que Cira montou seu primeiro tabuleiro, a barraca ganhou estrutura de alvenaria e um toldo para abrigar os clientes que costumam formar fila ao cair da tarde. Outros três endereços também  vendem os acarajés da baiana ao lado de pedidas como bolinho de estudante (R$ 5,00) e cocada puxa (R$ 6,00). Rua Aristides Milton, s/nº (em frente à Ladeira do Abaeté), Itapuã. Não tem telefone. 10h/22h30 (sex. e sáb. até 23h30). Mais três endereços. Aberto em 1967.

2º Lugar: Acarajé da Regina
Com ponto fixo no Rio Vermelho há 38 anos e outro na Graça, Regina dos Santos Conceição se empenha para manter o padrão dos seus quitutes típicos, buscando sempre fornecedores de qualidade. O acarajé e o abará completos levam vatapá e salada, e podem ser servidos inteiros ou cortados, em um prato com uma pimentinha (R$ 8,00 sem camarão e R$ 10,00 com o crustáceo). No seu tabuleiro, os clientes fãs de doce encontram também cocada de coco branco, coco queimado e amendoim (R$ 5,00), além de bolinho de estudante (R$ 5,00). Largo de Santana, s/nº, Rio Vermelho, ☎ 3232-7542. 15h/22h (sáb., dom. e feriados 10h30/20h); Rua da Graça, s/nº, em frente ao Colégio Sartre, Graça. Qui. e sex., 16h/21h30. Aberto em 1979.

3º Lugar: Acarajé Dária e Laura
Há três décadas vendendo acarajé, Laura Carvalho, que seguiu os passos da mãe, conta que mercadoria de qualidade e bom atendimento são o segredo do sucesso do negócio. O bolinho de feijão frito no azeite e o abará custam R$ 10,00 com camarão e R$ 8,00 sem o crustáceo. São servidos com vatapá, caruru, vinagrete e pimenta. Quem preferir comer no prato pagará R$ 0,50 a mais. Bolinho de estudante, cocada e passarinha saem a R$ 5,00 cada um. Rua dos Maçons, s/nº, esquina do Redemix Supermercado, Pituba, ☎ 3461-1452. 17h/21h (fecha dom.). Aberto em 1986.