Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Cidade japonesa fica indignada com conto de Murakami

Moradores reclamam que, em novo conto, escritor sugere que pessoas daquela localidade têm o costume sujo e perigoso de jogar cigarros acesos pela janela

quarta,

Uma pequena cidade do Japão está indignada com um conto do aclamado escritor japonês Haruki Murakami. Representantes locais afirmam que, no conto, o autor sugere que seus habitantes têm o costume de jogar cigarros acesos pelas janelas dos carros. Nesta quarta, as autoridades de Nakatonbetsu, na ilha de Hokkaido (norte do país), anunciaram que pedirão explicações sobre o trecho em questão.

Murakami, Roth e Oates: as principais apostas para o Nobel

Murakami: escrever é ‘descer ao segundo subsolo da alma’

A menção à cidade de Nakatonbetsu aparece em um conto de 24 páginas publicado na edição de dezembro da revista Bungeishunju. No texto, Murakami cria uma conversa fictícia entre um ator viúvo de meia-idade e sua motorista, uma jovem de 24 anos nascida no município. Quando ela joga um cigarro aceso pela janela do motorista, o ator pensa: “Provavelmente, é algo que todo mudo faz em Nakatonbetsu”.

Os oito integrantes da assembleia municipal exigem explicações do editor da revista. O secretário-geral da assembleia, Shuichi Takai, disse que “no começo da primavera os moradores se reúnem, por iniciativa própria, para limpar o lixo das ruas”.

“Também trabalhamos duro para prevenir os incêndios, já que 90% da nossa localidade está coberta por bosques. Esta não é uma cidade que as pessoas sujam com cigarros. E queremos saber por que ele tinha que utilizar o nome real de uma cidade para o texto”, completou, sem ponderar que o conto não passa de uma ficção.

A revista Bungeishunju declarou que não tem nenhum comentário a fazer porque ainda não recebeu nenhuma queixa.

(Com agência France-Presse)