Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Casa de David Bowie em NY se enche de homenagens de fãs

Situado no bairro de Soho, o edifício da rua Lafayette, onde o músico britânico de 69 anos morreu no domingo, se encheu de fãs, flores e cartazes

Fãs prestam homenagens em frente ao apartamento do cantor David Bowie em Nova York - 11/01/2016

Fãs prestam homenagens em frente ao apartamento do cantor David Bowie em Nova York – 11/01/2016 (VEJA)

“Estou devastada, assim como todo mundo”, resumiu com lágrimas nos olhos Penélope, uma jovem artista francesa, na porta da casa de David Bowie em Nova York, onde na segunda-feira se acumulavam flores e mensagens em homenagem à lenda do rock. Situado no bairro boêmio do Soho, o edifício da rua Lafayette, número 285, onde o músico britânico de 69 anos morreu no domingo, tornou-se ao longo do dia o local de peregrinação de admiradores.

Leia também:

Morte de David Bowie prenuncia o fim da música do século XX

‘Traduzo em música o tempo em que vivo’, disse cantor a VEJA

Novo disco de Bowie chega ao topo das paradas britânicas

“Au revoir, David”, dizia a mensagem deixada por Penélope Bagieu, de 33 anos, que vive no Brooklyn (sudeste da cidade de Nova York), com suas flores ao lado da entrada do prédio. “Tem um milhão de músicas dele que eu amo, de acordo com o momento da minha vida”, contou a jovem cartunista. “Tive sorte de vê-lo ao vivo em Paris em 2003. Foi um show longo. Foi muito respeitoso com seus admiradores e tocou clássicos pelos menos por dois terços do show apesar de ter acabado de lançar um disco na época”, lembrou.

A morte de Bowie surpreendeu o mundo, já que apenas dois dias antes ele tinha lançado seu 25º álbum, o último de uma carreira excepcional que começou nos anos 1960. O edifício da rua Lafayette era todo discrição. Os vizinhos entravam e saiam sem falar com a imprensa. À tarde, à medida que as flores se acumulavam, a administração do local colocou uma pessoa da equipe de segurança para manter a entrada livre.

“Obrigado David. Que os deuses nos abençoem”, “Te vejo em Marte” e “Querido, o Chile te agradece”, podia ser lido em outras mensagens. Na calçada também havia velas, incenso, fotos, capas de álbuns e camisetas.

Georgina Berrozpe, uma espanhola de 45 anos que mora no bairro, se aproximou para se despedir de um artista que a fascinou desde pequena e não conseguia esconder sua tristeza. “Fiquei sabendo pelo jornal. Coloquei sua música pra tocar e comecei a dançar”, contou. “Ele era um músico fantástico que estava cercado de pessoas maravilhosas. Ele me fascinava desde criança.”

‘Starman’

Lançada em 1972, no disco The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars, a faixa é de causar arrepios nos mais nostálgicos. O álbum é considerado um marco na cultura pop e fez de Bowie um dos poucos a mesclar música, moda e performance artística. 

‘Changes’

A canção do disco Hunky Dory marca a estreia do músico na parada americana Billboard Hot 100, em 1972. 

‘Fame’

Ao longo da carreira, o músico britânico emplacou duas músicas no primeiro lugar da disputada parada Billboard Hot 100. Fame, do disco Young Americans, de 1975, foi a primeira. 

‘Rebel Rebel’

Faixa do disco Diamond Dogs, de 1974, a música é considerada a despedida de Bowie do movimento rock glam, popularizado por ele.

‘Young Americans’

A canção, parte do disco de mesmo nome, lançado em 1975, possui forte influência da música negra americana, estilo que ganhou o apelido de ‘plastic soul’ por Bowie. 

‘Heroes’

A música que dá título ao disco lançado em 1977 é parte da “trilogia de Berlim” (formada porLow, Heroes e Lodger), discos gravados na época que o músico vivia na cidade alemã. Heroes se tornou uma das mais famosas na voz de Bowie e ganhou diversos covers, entre eles de músicos como Oasis e Bon Jovi.

‘Fashion’

O single do álbum Scary Monsters (and Super Creeps), de 1980, foi um dos primeiros a ser lançado pelo músico após a trilogia Berlim, e traz um som ainda mais dançante, com uma forte batida eletrônica. 

‘Under Pressure’

A música lançada em parceria com a banda Queen, em 1981, se tornou um hit no mundo, especialmente no Reino Unido, onde ela conquistou o topo da parada UK Singles Chart.

‘Let’s Dance’

Parte do disco que leva o mesmo nome, lançado em 1983, Let’s Dance foi a segunda faixa de Bowie a conquistar o primeiro lugar na parada americana Billboard Hot 100. 

‘The Next Day’

A música é parte do disco de mesmo nome, lançado em 2013. O álbum foi um dos mais bem sucedidos de Bowie na parada americana até hoje, chegando ao segundo lugar dos mais vendidos. No total, o músico emplacou 39 discos entre os mais populares da Billboard

(Com agência France-Presse)