Bieber doa R$ 20 mil ao Inca e processo por pichação é extinto

Cantor aceitou proposta do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro para encerrar o processo de 2013

O processo contra  Justin Bieber por causa da pichação que o cantor deixou em um muro do Rio de Janeiro durante sua passagem pelo país em 2013 foi extinto na terça-feira. O juiz Rudi Baldi Loewenkron, da 34ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, decidiu pela extinção depois que foi comprovado que o cantor fez uma doação de 20.000 reais ao Instituto Nacional do Câncer (Inca), conforme o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro havia proposto aos advogados do canadense em março.

“Antes deste juízo ratificar o recebimento da denúncia, estando presentes os requisitos para tanto, a defesa comprovou a doação ao instituto indicado pelo Ministério Público com a aquisição dos bens necessários. Assim sendo, em vez de dar prosseguimento ao feito, com a doação efetivada não há mais interesse processual ao levar em conta a antecipação da pena. Isto posto, deixo de resolver o mérito e julgo extinto o processo”, disse o juiz na decisão.

Bieber pichou o muro do antigo Hotel Nacional, em São Conrado, na Zona Sul do Rio, em 2013. O processo contra o cantor, porém, não foi para frente porque pouco depois ele deixou o país. Ao tomar conhecimento de que o canadense voltaria ao Brasil entre março e abril de 2017, o MPRJ pediu a reabertura do processo e propôs a seus advogados que ele fizesse a doação para que o processo fosse encerrado.