Beijo gay foi mais ousado que cena de sexo vazada de Marquezine

Sequência em que dançarina vivida pela atriz vai para a cama com personagens de Daniel Oliveira e Leticia Colin foi ao ar nesta terça

Tamanho o burburinho provocado pelo vazamento de uma cena da série Nada Será Como Antes, da Globo, em que a atriz Bruna Marquezine protagoniza momentos quentes com Daniel de Oliveira, o ricaço que banca a TV do visionário Saulo (Murilo Benício) e transforma a dançarina de cabaré interpretada por Bruna em estrela do canal, era de se esperar algo da linha de Calígula, o clássico pornô. Ou, vá lá, de uma sessão do Cine Privê, o extinto programa de filmes eróticos da Band. O que se viu no ar, no fim da noite desta terça, no entanto, foi ainda mais light que a atração dos anos 1990.

Enquanto Saulo corria atrás de seu grande amor, Verônica (Débora Falabella), e o reconquistava, o público acompanhava o avanço de Beatriz na vida amorosa dos irmãos Otaviano e Júlia. Depois de seduzir o empresário, a dançarina percebe o ciúme da irmã, e parte para cima dela: primeiro com um “beijo americano”, um estalinho ligeiro, em seguida com um “beijo francês”, do qual o público só teve uma alusão.

A cena, apesar de meramente sugestiva, foi talvez mais ousada que a sequência do lelelê de Beatriz e Otaviano, que teve mais conversa do que ação. Papo de conteúdo erótico, é verdade, mas papo: Beatriz pede que Otaviano “beije” as suas partes íntimas, o que ele diz nunca ter feito. E, quando estreia na função, por assim dizer, novamente o público fica mais com uma alusão ao ato do que com o ato em si. Uma escolha elegante de Guel Arraes, sem dúvida: as imagens mais fortes foram exibidas pela fresta de uma porta entreaberta, por onde Júlia, como voyeur, observa todo o rala-e-rola do irmão com a dançarina. Foi rápido e restrito — a imagem do sexo oral escapava pelo curto vão entre a porta e o batente.

Quando vazada, duas semanas atrás, a cena de Bruna Marquezine parecia prometer muito mais do que o capítulo entregou. Indignada, a Globo anunciou que procuraria e puniria o culpado pelo vazamento da sequência, que a bem da verdade ajudou a divulgar a série. E era mesmo de se esperar imagens mais ousadas: a faixa das 23h tem sido ocupada por tramas fortes e picantes desde o remake de O Astro (2011), com cenas de pegação entre Rodrigo Lombardi e Carolina Ferraz, passando por Verdades Secretas (2015), sobre modelos que se prostituem, e Justiça, a ótima série de Manuela Dias, marcada especialmente por dramas pessoais, neste ano.

A sequência desta terça-feira, vale dizer, segue a linha comportada da série de Arraes e Jorge Furtado, em que predomina o clima romântico que embalou a aventura dos televisionários, como Furtado chama os que apostaram na força da televisão e batalharam para implementá-la no país. O que também ficou no ar, e pode ajudar a colocar fogo no triângulo amoroso formado por Bruna, Letícia e Daniel Oliveira, a partir da próxima semana, é a possibilidade de um incesto que se desenha no horizonte da história. A ver.

bruna_marquezine_colin bruna_marquezine_colin2

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Jorge Iório

    Acabou-se a criatividade. Entra em cena a apelacao, por absoluta falta de imaginacao dos autores.

    Curtir

  2. Atitudes abomináveis. Fico triste de saber que tantas famílias se presam por assistir atos tão imorais e esvaziados de bons costumes.

    Curtir

  3. Fábio Alcântara

    Povinho hipócrita. Defende os “bons costumes” mas não deixa de assistir as “atitudes abomináveis”. Com certeza se delicia com elas.

    Curtir

  4. Rennata Carvalho

    Eu achei muito bem feito as cenas , e isso de sugerir ao invés de explicitar muito mais elegante, pois o ato sexual em si não tem nd de elegante….agora cada um com sua opinião mas não vi nd de abominável e nem imoral….são relações que acontecem entre as pessoas!

    Curtir

  5. Isso é uma imoralidade! Devemos ter de volta a censura para tirar do ar essas imoralidades. Deveria passar as pregações do pastor Silas, isso sim seria melhor para a nossa sociedade.

    Curtir

  6. Washington Badaró

    Quer fazer sucesso? É só fazer apologia do Gayzismo…pronto!

    Curtir

  7. Delcio Mencio

    Só baixaria pela baixaria.

    Curtir