Alô, Dylan? Academia Sueca não consegue falar com novo Nobel

Avesso à iconoclastia, cantor também faz silêncio sobre o prêmio em show em Las Vegas, e levanta suspeita de que pode ignorá-lo

Não é bem o caso de um sumiço — todos sabem onde está Bob Dylan, que na noite desta quinta-feira se apresentou em Las Vegas, nos Estados Unidos. A questão é outra, e já intriga a Academia Sueca: a instituição tentou comunicar ao músico que ele foi o escolhido para o Nobel de Literatura deste ano, mas não conseguiu contatá-lo. No show que fez nesta noite, o compositor tampouco tocou no assunto diante da plateia. Avesso ao iconoclasmo, Dylan levanta uma suspeita: irá o autor de músicas memoráveis como Times They Are a Changin fazer pouco caso da premiação?

A cada ano, os premiados são convidados a comparecer a Estocolmo no dia 10 de dezembro para receber o prêmio as mãos do rei da Suécia e discursar durante um jantar de gala. Mas a Academia Sueca não sabe se Bob Dylan vai comparecer ao evento. Há precedente que justifique o temor. Em 1964, o filósofo francês Jean-Paul Sartre rejeitou o Nobel de Literatura depois de anunciado vencedor. Assim, ele não recebeu as 273.000 coroas suecas que correspondiam ao prêmio na época. Hoje, o prêmio está em 8 milhões de coroas suecas (ou 2,89 milhões de reais).

Segundo o chanceler da Academia Sueca, Odd Zschiedrich, a instituição entrou em contato tanto com o agente de Dylan como com o diretor da turnê do cantor, e por nenhum dos dois caminhos conseguiu chegar a ele.

De acordo com o Washington Post, que entrevistou pessoas ligadas ao artista, “Dylan permaneceu em silêncio o dia todo sobre o prêmio”. O cantor Bob Neuwirth, amigo do músico, chegou a dizer ao jornal que ele pode inclusive pode “não agradecer” o prêmio.

(Com agência France-Presse)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Jorge Luís dos Santos

    Bob Dylan, nobel de literatura: a loucademia sueca pirou de vez!

    Curtir

  2. Cristina Costa

    Nada contra Dylan, até gosto de muitas de suas canções, mas se o nobre artista rejeita tanto o prêmio de 1 milhão de dólares da Academia, porque não faz um gesto coerente com as suas convicções humanistas e doa este dinheiro às vitimas do Haiti ou da Siria? Seria um belo exemplo. Caso contrário, esta atitude besta vai parecer propaganda tipo Sean Penn e tantos outros “salvadores” que clamam contra injustiças no mundo mas não põem a mão no bolso.

    Curtir

  3. Joel Robinson

    O Maluco Beleza também merecia…

    Curtir

  4. Cláudio Moura

    Fumou uns baseados a mais e esqueceu de ir.

    Curtir