Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Oito dicas para economizar na compra do material escolar

Fazer uma vasta pesquisa de preços entre diversos estabelecimentos é uma das principais dicas do Procon-SP

Final de ano não é só sinônimo de férias e viagens, é também o momento realizar as compras do material escolar do ano seguinte. Fazer uma vasta pesquisa de preços entre diversos estabelecimentos é uma das principais dicas da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP) para economizar na hora de comprar o material escolar dos filhos. Outro fator importante que deve ser levado em conta antes da compra é verificar se existem materiais que podem ser reutilizados; isto garante que você não compre itens que já possui, aumentando a economia.

Leia também:

Preço dos materiais escolares deve subir 8% este ano

Preço do material escolar pode variar quase 200%

Fátima Lemos, assessora técnica do Procon-SP, explica que os três principais pontos que os pais devem ter em mente antes de ir às compras são: planejamento, pesquisa prévia e compartilhamento. “Não existe uma época melhor para compra de material escolar. O que faz diferença no quanto se gasta é o tempo que se tem para pesquisar preços, por isso é importante que o consumidor tenha acesso à lista de compras o quanto antes e já comece a comparar valores. Isto é planejamento”, afirma Fátima.

Outro fator bastante importante é o compartilhamento de informações. Há alguns grupos de pais na internet que facilitam a pesquisa de quais os melhores lugares para comprar e podem ajudar na organização de compras coletivas dos materiais, o que geralmente garante melhores preços.

Os pais também devem ficar atentos para irregularidades que podem aparecer nas listas requisitadas pelas escolas. Segundo o Procon-SP, a instituição de ensino não pode exigir que os pais comprem materiais de uso coletivo, como os de higiene e limpeza, e nem mesmo cobre taxas para despesas de água e luz. A requisição de itens de marcas específicas e restrição do local de compra também são considerados atos abusivos no entendimento do Procon-SP.

Em caso de dúvidas, a fundação aconselha o consumidor a questionar a escola e, se não for esclarecido ou se achar que as medidas da instituição não cabem para o caso específico, o consumidor pode encaminhar seus questionamentos pelo site do Procon-SP, ligar para o 151 ou ir até um dos postos de atendimento.

Confira as 8 dicas para economizar na compra do material escolar: