Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Harvard proíbe sexo e namoro entre alunos e professores

Instituição afirma que 'relações entre pessoas de status diferentes' não reflete as 'expectativas da faculdade'. Em 2010, Yale tomou decisão semelhante

A Universidade Harvard, um dos centros de ensino superior de maior prestígio nos Estados Unidos, proibiu nesta semana que os professores mantenham “relações sexuais ou românticas” com seus alunos, após uma revisão de sua política sobre assédio.

O Comitê da Faculdade de Artes e Ciências explicou que a revisão da política “determinou que a linguagem atual sobre as relações entre pessoas de status diferentes não refletia explicitamente as expectativas da faculdade sobre o que constitui uma relação apropriada”. Neste contexto, declarou que a partir de agora estão proibidas as relações entre os funcionários e os estudantes de graduação e pós-graduação.

Leia também:

O que está por trás da violência dentro das universidades

A decisão de Harvard segue uma política já instituída pela Universidade Yale, que em 2010 também proibiu as relações entre estudantes e professores.

A mudança ocorre em um momento em que as principais universidades americanas se colocam na defensiva devido a denúncias de violência sexual nos campi. Em maio de 2014, o Departamento de Educação dos Estados Unidos publicou uma lista de 55 universidades que estavam sendo examinadas pelo governo por supostamente fazer uma gestão ruim das denúncias de assédio e abuso sexual. Localizada no estado de Massachusetts, Harvard está na lista.

(Com informações AFP)