Viral da Dove feito por brasileiros já foi visto por mais de 20 milhões

Campanha que enaltece a "real beleza" das mulheres, feita pela Ogilvy Brasil, vira sensação; agência espera 80 milhões de exibições na web em menos de um mês

Quando a agência de publicidade Ogilvy Brasil, parte do conglomerado de comunicação WPP, recebeu o pedido da Unilever para produzir uma campanha global para a marca Dove, não imaginava – nem nos sonhos mais megalomaníacos de seus publicitários – que se trataria de um sucesso poucas vezes visto na propaganda mundial. O vídeo Dove ‘Retratos da Real Beleza’ foi lançado há, exatamente, uma semana nos Estados Unidos e no Brasil – e já foi visto por mais de 20 milhões de pessoas no Youtube. Para se ter uma ideia da magnitude, a publicidade mais vista no Youtube em 2012 foi o comercial da Nike, intitulado Meu Tempo é Agora, com 20,8 milhões de visualizações ao longo de todo o ano.

Rodado em São Francisco, nos Estados Unidos, o filme mostra diferentes mulheres sendo retratadas por um desenhista forense do FBI com base, apenas, em suas próprias descrições. Em um segundo momento, o profissional desenha as mesmas mulheres, usando as descrições de outras pessoas – o que acaba resultando em retratos muito mais bonitos. A mensagem é direta: as mulheres são muito mais críticas em relação à própria imagem do que as outras pessoas.

O tema criou tamanho engajamento do público feminino, que, não só o vídeo se espalhou feito pólvora, como também as discussões na rede alçaram patamares poucas vezes vistos para uma campanha publicitária. No site Mashable, um dos primeiros a divulgar o vídeo, os compartilhamentos na rede superam 600 mil. O tema causou interesse em veículos que não costumam dar ênfase a campanhas publicitárias, como New York Times, Financial Times, e Wall Street Journal. “Dove é uma empresa e, claro, quer lucrar. O objetivo da campanha é reforçar a imagem de que a marca se preocupa. Mas, enquanto eles miram o retorno financeiro, como todas as empresas fazem, eles estão também promovendo uma mudança significativa ao redefinir os padrões da publicidade e os ideais de imagem irreais perseguidos pelas mulheres”, escreveu o britânico The Independent.

O time de brasileiros, que realizou a campanha em pouco mais de três meses, ganhou notoriedade. “Às vezes, boas ideias morrem antes de virar realidade. E essa foi possível”, conta Luiz Fernando Musa, presidente da Ogilvy Brasil. Segundo o publicitário, a ideia da agência brasileira foi confrontada com projetos vindos da Ogilvy Shangai e Ogilvy Londres – e saiu vencedora. A Unilever autorizou a execução da campanha sem, nem ao menos, ter um roteiro à mão. “A ambição do cliente em relação à campanha era grande. Mas ele também teve a coragem de acreditar na ideia”, conta Musa.

O filme, acredita o publicitário, não só é o mais repercutido da agência, como também entrará para a história da propaganda mundial. “São esses projetos que nos lembram da razão de termos escolhido essa profissão. É muito raro participarmos de um projeto que tenha essa repercussão na vida das pessoas. E, hoje, o mundo está falando de Dove”, diz.

O vídeo deverá ser publicado nos canais da marca Dove no Youtube em diversos idiomas, ao longo da semana. Com isso, a agência projeta que as visualizações alcancem 80 milhões até o final do mês. Na internet, até mesmo uma paródia do vídeo feita pelo grupo de comédia americano “New Feelings Time” – que faz um trabalho parecido ao do grupo Porta dos Fundos no Brasil – ganhou notoriedade. Ela mostra como, ao contrário das mulheres, os homens são convencidos em relação a sua imagem. Tanto que os retratos feitos com base na descrição que eles fornecem mostram rostos dos galãs Brad Pitt, George Clooney e Edward Norton.