Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Venezuela dá calote de US$ 262 milhões no Brasil, que protesta

Dívida de US$ 262 milhões é referente a créditos de exportação entre os dois países, e venceu em setembro; Brasil levou o caso ao Clube de Paris

A Venezuela deixou de pagar uma dívida de 262 milhões de dólares (859 milhões de reais) a credores brasileiros. O montante é referente a créditos relativos a comércio exterior entre empresas dos dois países. O prazo venceu em setembro, e o governo brasileiro já fez, naquele mês, um comunicado ao Clube de Paris sobre a situação.

O grupo, do qual o Brasil faz parte, reúne credores de países que financiam nações em desenvolvimento, e busca ajudar em processos de renegociações de dívidas.

Segundo a Fazenda, o governo brasileiro foi acionado pelos credores que não receberam o dinheiro,  e está em contato com o governo venezuelano para resolver a situação. O papel da pasta é referente às garantias de crédito em exportações. “Cabe destacar que não é o governo brasileiro que classifica a operação como inadimplente, mas o banco financiador. A participação do Brasil no processo é honrar a garantia previamente contratada pelo banco financiador, cumprindo suas obrigações contratuais. No caso de operações com curso no Convênio de Pagamentos e Créditos Recíproco (CCR), aguardam-se 4 meses para que a situação seja possivelmente resolvida antes de qualquer indenização”, disse o ministério em comunicado.

Caso os pagamentos não sejam feitos pela Venezuela, são ressarcidos pela Agência Brasileira Gestora de Fundos Garantidores (ABGF). A estatal faz o pagamento a partir de um fundo público. “Ressaltamos que o fundo (FGE) tem histórico altamente superavitário, com receitas de prêmios líquidas de indenização superiores a 1,1 bilhão de dólares”, diz a Fazenda.

Rebaixamento

Na segunda, a Venezuela foi rebaixada pela agência de classificação de risco Standard & Poor’s. A nota do país para dívidas em moeda estrangeira de curto prazo passou de um nível especulativo (CC) para default (D), ou seja, calote. A dívida em longo prazo também foi rebaixada de C (especulativo) para SD (sigla para default seletivo, um nível acima do default).

O rebaixamento aconteceu por falha no pagamento de 200 milhões de dólares (655,9 milhões de reais) em bônus de dívida a credores internacionais. Os depósitos deveriam ocorrer até o dia 12. A agência também monitora o pagamento de 420 milhões de dólares (1,37 bilhão de reais) em bônus cujos pagamentos estão vencidos, mas ainda dentro do prazo de tolerância de um mês.

Há duas semanas, o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, ordenou o refinanciamento e restruturação de todos os pagamentos externos do país. O país firmará esta semana com a Rússia um acordo de reestruturação de 3 bilhões de dólares (9,8 bilhões de reais), de uma dívida de 8 bilhões de dólares (26,2 bilhões de reais). Também tenta renegociar com a China uma dívida de 28 bilhões de dólares (91,8 bilhões de reais).

A S&P disse, na terça, que “muito provavelmente” consideraria qualquer restruturação como uma troca de dívidas e “equivalente a um calote, dadas as condições restritas de liquidez externa”.  “Adicionalmente, em nossa opinião, as sanções dos Estados Unidos à Venezuela e membros do governo resultarão, muito provavelmente, em uma negociação longa e difícil com os credores”, diz trecho do comunicado com a agência.

Procurada, a embaixada da Venezuela não se manifestou até a publicação desta notícia. O posicionamento será incluído quando houver resposta.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Luiz Carlos Porto

    Vender para quem não tem capacidade de pagamento dá nisso. Obrigado Lula e Dilma!

    Curtir

  2. Tadeu Passarelli

    Viva a venezuelaça bolivariana! pagaremos… Obrigado pestê!!!

    Curtir

  3. Geraldo Gomes

    Só o Eike Batista deve mais de 1 bilhão ao Bradesco, então um país inteiro só dever 262 milhões não é nada.

    Curtir

  4. Todos os amigos de LuLa e Dilma, são inimigos do Brasil. Justiça neles!

    Curtir

  5. Fernando Cesar Romo Rojas

    Manda o PT a Cobrar

    Curtir

  6. Nilton Castro

    Que atire a primeira pedra quem nunca ficou devendo 262 milhões para alguém… PÉF (ui!), PÓF (ai!), PIF! (pô, pedras pequenas, se não for pedir muito)…

    Curtir

  7. Guga Chacra Da Rede Goebbels
    Chama Povo Polonês De Nazista
    E Recebe Puxão De Orelha
    Da Consulesa Katarzyna Braiter

    Curtir