Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Vendas no varejo ficam estáveis em julho, diz IBGE

O resultado ocorre após três meses seguidos de crescimento na comparação mensal, período em que houve aumento acumulado de 2,2%.

As vendas no comércio varejista tiveram variação nula em julho em relação ao mês anterior, divulgou o IBGE nesta terça-feira. O resultado ocorre após três meses seguidos de aumento nesse tipo de comparação, período em que houve aumento acumulado de 2,2%.

Em relação a julho de 2016, o volume de vendas foi 3,1% superior, a quarta alta seguida na comparação anual.

No confronto com o mês anterior, três dos oito setores registraram crescimento nas vendas. O destaque foi o desempenho de hipermercados, supermercados, produtos alimentícios,  bebidas e fumo ( 0,7%), que tiveram resultado positivo apos queda no mês anterior, segundo o IBGE. Tiveram alta também tecidos, vestuário e calçados (0,3%) e equipamentos e material para escritório, informática e comunicação (4,4%).

Os setores de móveis e eletrodomésticos e de livros, jornais, revistas e papelaria repetiram o em julho o volume de vendas de junho. “Já Combustíveis e lubrificantes (-1,6%); Artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (-0,4%); e Outros artigos de uso pessoal e doméstico (-0,2%) pressionaram [o índice de julho] negativamente”, disse o IBGE em nota.

Varejo ampliado

O comércio varejista ampliado, que inclui os setores de construção e automotivo, registrou alta de 0,2% em julho. A alta é resultado da combinação da queda de 0,8% das vendas em veículos e motos, partes e peças e do avanço de 0,9% em material de construção.