Vale provisiona R$ 3,7 bi para cobrir desastre da Samarco

Provisão aparecerá no balanço da Vale do segundo trimestre, que será divulgado nesta quinta-feira

A Vale reconheceu provisão de 3,7 bilhões de reais no seu balanço do segundo trimestre, equivalente ao valor estimado de sua responsabilidade para compensações relativas à ruptura da barragem de rejeitos da Samarco Mineração em Mariana (MG). O balanço da Vale será divulgado nesta quinta-feira.

“Devido à reduzida expectativa de retorno das operações da Samarco em 2016, dado o status atual do processo de licenciamento ambiental, e as incertezas adicionais em relação ao fluxo de caixa da Samarco, a Vale reconheceu a provisão do valor presente da estimativa de sua responsabilidade secundária, equivalente a 50% das obrigações da Samarco no acordo”, afirmou a Vale em fato relevante.

A barragem do Fundão da Samarco – uma operação conjunta (joint venture) da Vale e da anglo-australiana BHP Billiton – rompeu-se em novembro do ano passado. O acidente causou a morte de dezenove pessoas e o tornou-se o maior desastre ecológico do país.

Em acordo firmado em março com o governo federal, a Samarco e suas controladoras se comprometeram a arcar com cerca de 12 bilhões de reais em reparações e compensações pelo desastre. Na ocasião, foi anunciada a criação de uma fundação para gerir os recursos.

A BHP também anunciou nesta quarta-feira que irá provisionar entre 1,1 bilhão e 1,3 bilhão de dólares para cobrir os custos do desastre.

Leia mais:
Governo de MG sabia de obra em barragem da Samarco, diz jornal
Samarco já não espera retomar operações no país em 2016, diz executivo
Especial: Tragédia em Mariana – para que não se repita

Segundo a Vale, dada a previsão atual de fluxo de caixa da Samarco, é provável que os acionistas sejam chamados a cumprir as obrigações do acordo e, portanto, a Vale estima contribuir em torno de 150 milhões de dólares à fundação no segundo semestre. Essa quantia será descontada da provisão anunciada.

A Vale informou ainda que pretende oferecer à Samarco linhas de crédito de curto prazo de até 100 milhões de dólares para apoiar suas operações, sem que isso configure uma obrigação à Samarco. Os recursos serão liberados à medida que forem necessários, sujeitos ao cumprimento de etapas pela Samarco. A BHP Billiton também deixará à disposição da Samarco linhas de crédito de curto prazo similares, segundo a Vale.

(Com Reuters)