Temer se reúne com líderes da base para discutir PEC do teto

Encontro foi prévia do jantar no Alvorada em que o presidente fará apelo por aprovação com muitos votos da proposta na Câmara, em votação nesta segunda

O presidente Michel Temer participou neste domingo de um almoço com líderes da base aliada para discutir a Proposta de Emenda Constitucional (PEC) do teto dos gastos públicos. O encontro foi na casa do líder do PSD, Rogério Rosso (DF), e estavam presentes também o líder do governo na Câmara, André Moura (PSC-SE), o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e o deputado federal Aguinaldo Ribeiro (PP-PB).

LEIA TAMBÉM:
Meirelles minimiza crítica da PGR sobre PEC do teto

Segundo nota divulgada pela liderança do governo na Câmara, na reunião, o líder André Moura explicou ao presidente Michel Temer como a base aliada está convencida da necessidade do país em aprovar a PEC 241 nesta segunda-feira.

O encontro foi uma prévia do jantar que Temer oferecerá neste domingo a deputados da base aliada, no Palácio da Alvorada, no qual fará um apelo para que a proposta seja aprovada com muitos votos, mostrando a unidade dos aliados do governo no Congresso.

No jantar de hoje, os economistas José Márcio Camargo e Armando Castelar, ambos do Rio, farão, a convite do governo, uma exposição sobre a necessidade do ajuste nas contas públicas. A chamada “PEC do Teto” limita o aumento das despesas do governo, por 20 anos, à inflação oficial dos 12 meses anteriores.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Essa PEC é só para aquecer o motor do trator que vai passar um rolo compressor em cima de todos os direitos conquistados do povinho que não tem nem onde cair morto. Enquanto isso os larápios responsáveis pelo maior assalto aos cofres públicos da história não arreda nenhum passo para abrir mão de seus invejáveis privilégios.

    Curtir

  2. Romário Rocha

    Kagu k, não acho que os direitos de ninguém serão cortados. Mas concordo, sim, que se tornarão mais burocráticos. Mas é melhor um governo que admite o prejuízo, corte gastos e regularize a situação, do que um governo que nem mesmo admite que algo está errado, como foi o comportamento da Sra. Rousseff. Estou confiante de que o governo Temer vai reorganizar as contas públicas. Temos que dar essa oportunidade a ele. Afinal, o PT teve 14 anos de oportunidades…

    Curtir

  3. Ataíde Jorge de Oliveira

    As Tetas da Viúva não secam nunca! E mama mais, quem chega primeiro. É o TaLL Estado de Necessidade ( Puro Darwin ).

    Curtir

  4. jj guimaraes

    Querem matar a doença, matando o paciente, funciona a doença acaba!!!

    Curtir