Surto de E. coli. fará UE aumentar ajuda ao setor agrário

Bloco deve revisar para cima o aporte de 150 milhões de euros para compensar perdas de agricultores com o surto da bactéria E. coli

A Comissão Europeia comprometeu-se nesta terça-feira a “revisar para cima” os 150 milhões de euros propostos para compensar as perdas causadas ao setor hortifrutigranjeiro europeu devido à queda do consumo por conta da bactéria E. coli. Ao final de uma reunião extraordinária de ministros de Agricultura em Luxemburgo, o comissário europeu do setor, Dacian Ciolos, anunciou que revisará o montante e a porcentagem das subvenções para apresentar uma “melhoria substancial” no aporte.

“Os Estados-membros deram justificativas e pediram que esse número seja revisado em alta. Comprometi-me a revisar o número e apresentar uma proposta melhor, com um aumento que seja substancial, equilibrado e justificado em relação à situação atual”, declarou Ciolos em entrevista coletiva. A pressão dos países obrigou o comissário a voltar atrás do que tinha dito ao chegar à reunião, quando afirmou que 150 milhões de euros era “o que havia”.

Ciolos indicou que, nesta quarta-feira, apresentará a nova proposta para que o Comitê de Gestão da União Europeia, que reúne representantes dos 27 países-membros, tome uma decisão provavelmente no início da próxima semana. Uma vez adotada a iniciativa, as subvenções poderão ser desbloqueadas até o final de junho, segundo fontes europeias.

(com EFE)