Suécia vai emprestar dez caças Gripen ao Brasil

Acordo firmado nesta quinta-feira vale até que a FAB receba novas aeronaves no primeiro trimestre de 2016

O governo da Suécia se comprometeu a ceder dez caças Gripen C/D de “segunda mão” ao Brasil até que a Força Aérea receba as novas aeronaves que serão construídas em parceria com a Saab.

De acordo com o Ministério da Defesa brasileiro, o acerto foi feito nesta quinta-feira, em reunião do comandante da FAB, Juniti Saito, e representantes da Força Aérea da Suécia. Junto com o ministro da Defesa, Celso Amorim, Saito viajou ao país europeu para discutir o contrato de fornecimento de aeronaves ao Brasil.

Os detalhes do empréstimo das aeronaves devem ser decididos até o fim de maio. O Brasil arcará apenas com o custo operacional dos caças. A Suécia também deve fornecer treinamento e apoio logístico para os militares brasileiros.

Leia mais:

Saab garante que entregará primeiros caças em 2018

Caças: ações da Saab disparam após acordo com Brasil

​A substituição dos caças: uma história de mais de duas décadas

Desde a aposentadoria dos Mirage 2000, em dezembro do ano passado, a FAB tem como principal arma de defesa aérea os antigos F-5, modelo que chegou a ser utilizado na Guerra do Vietnã.

A previsão é de que os caças provisórios fiquem em operação pelo menos até o primeiro trimestre de 2016, quando o Brasil deve receber suas seis primeiras aeronaves do modelo Gripen NG. Um ano depois, outros quatro novos caças devem chegar ao país.

Novos caças – O Ministério da Defesa anunciou em dezembro passado a escolha da Saab como fornecedora da próxima geração de caças da Força Aérea. O contrato prevê o fornecimento de 36 Gripen NG, a um preço estimado de 5 bilhões de dólares.