Senadoras de oposição são alvo de ação no Conselho de Ética

José Medeiros (PSD-MT) entrou com representação no conselho, contra o grupo que ocupa a mesa do Plenário, para apurar quebra de decoro parlamentar

O senador José Medeiros (PSD-MT) entrou nesta terça-feira com uma representação no Conselho de Ética do Senado contra as senadoras de oposição que ocupam a mesa do plenário da Casa há cerca de cinco horas. Elas tentam modificar o texto da reforma trabalhista que vai ao plenário hoje, para acabar com a permissão para trabalho de grávidas e lactantes em local insalubre.

A representação de Medeiros conta com a assinatura de 14 senadores, além de sua própria. No documento, o parlamentar pede ao conselho a instauração de procedimento “para verificação de prática de ato incompatível com a ética e o decoro parlamentar.”

Se aceito, em última instância, esse tipo de processo pode levar à cassação do parlamentar.

Para Medeiros, a conduta das senadoras foi “autoritária, ilegal e, acima de tudo, abusiva” porque “extrapola a postura que se espera em ambiente democrático” e “subtrai o direito dos demais parlamentares ao regular funcionamento da Casa e à continuidade dos debates dos projetos da Ordem do Dia.”

O documento pede ao conselho a “aplicação das sanções disciplinares cabíveis” do artigo 7º da resolução 20, de 1993.  De acordo com o artigo, as medidas disciplinares possíveis são: advertência, censura, perda temporário do exercício do mandato e perda do mandato.

Um protesto das senadoras de oposição interrompeu a votação da sessão que votaria a reforma trabalhista no plenário do Senado nesta terça-feira. Como elas ocuparam todos os lugares da Mesa Diretora, não havia lugar para o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE) se sentar.

Sem conseguir assumir seu lugar, Eunício suspendeu a votação por volta das 12h e mandou apagar as luzes do plenário. Ele disse que a votação será retomada “quando a ditadura permitir”.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Paulo Cesar Martins

    O Senado é a Casa da Mãe Joana, alguém tem duvidas?

    Curtir

  2. José Antonio Debon

    Espero que sejam cassados.

    Curtir

  3. José Carlos Pires Monteiro

    Deplorável. Essas são as que vivem falando em democracia. E o pior: comandadas por uma ré na Justiça. Estão provando que o que mais sabem fazer é baderna. Duvido que sejam caçadas no Conselho de Ética. Mulheres também tem que assumir suas responsabilidades. O que faria o Presidente do Senado se fossem homens a fazer esse papelão? Tem que fazer a mesma coisa com elas.

    Curtir

  4. Chico Pinedo

    Parece haver um esforço, sistemático, de alguns políticos, para avacalhar o que resta de dignidade na atividade parlamentar. Nem em Grêmio estudantil uma atitude destas seria tolerada. É um absurdo!

    Curtir

  5. Cleodemir José Martins

    Estas que se dizem representante do povo dão um péssimo exemplo. Isto para me se chama baderna e principalmente para aqueles que tanto falam em nome de democracia

    Curtir