Sem versão impressa, Independent volta a dar lucro após 23 anos

Publicação britânica, que deixou de circular em papel em março, teve aumento no número de usuários e em receita de anúncios digitais

Cerca de seis meses após encerrar sua edição impressa, o jornal britânico The Independent voltou a dar lucro. A informação foi dada pelo dono da publicação, o bilionário russo Evgeny Lebedev em entrevista ao também britânico Financial Times. De acordo com o publisher, a redução de custos com o fim da infraestrutura necessária para a impressão foi um fator importante por dar mais flexibilidade à empresa. “Ainda é cedo, mas os primeiros seis meses mostraram que sendo mais ágeis e focados digitalmente, nós conseguimos servir melhor nossa nova audiência online, que é muito maior”. A última edição impressa circulou no dia 26 de março.

Segundo dados da ComScore, o número de usuários únicos mensais do The Independent cresceu de 15,8 milhões em fevereiro para 16,2 milhões em agosto – após atingir um pico de 21 milhões em junho, às vésperas do referendo que decidiu o Brexit. O jornal fica atrás de outros periódicos britânicos como o Daily Mail, que é líder com 26,4 milhões em agosto, e do The Guardian, com 24 milhões. 

De acordo com as informações da empresa, a receita de anúncios digitais do The Independent cresceu 45% no período, na comparação com o ano passado. A expectativa é que encerre o ano em 20 milhões de libras (77,7 milhões de reais). A publicação passou por uma restruturação desde o fim da edição impressa, com demissão de 110 dos cerca de 200 jornalistas – e 10 novos contratados para as operações no meio digital. O The Independent foi fundado em 1986.