Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Sem Pokémon Go, Moscou caça Gagarin e Ivan, o Terrível

Aplicativo desenvolvido pela prefeitura da capital russa exibe personagens históricos em lugares de grande fluxo de turistas

O game de sucesso global Pokémon Go ainda não está disponível na Rússia, mas em Moscou é possível improvisar a caçada virtual com as figuras digitalizadas de Ivan, o Terrível, Alexander Pushkin e Yuri Gagarin. Esses são alguns dos personagens que aparecem na nova versão do aplicativo “Descubra Moscou”, criado pela prefeitura da capital russa para telefones Apple ou Android. Ele inclui a tecnologia de realidade aumentada, na qual elementos virtuais “aparecem” no mundo real quando avistados pelas câmeras de telefones celulares.

Na tela do smartphone, o ponteiro da bússola aponta para a entrada da Praça Vermelha. A distância até o objetivo vai diminuindo aos poucos e, de repente, abre a tela da câmera fotográfica. Após mais alguns movimentos e surge a imagem de um personagem barbudo, com casaco de pele e um cetro de ouro na mão.

É nesse momento que se pode capturar a figura, como se faria com um Pokémon. O objetivo não é, porém, caçá-lo para domesticá-lo, mas para tirar fotos em todas as poses imagináveis ao lado do primeiro czar da Rússia, Ivan, o Terrível.

Leia mais:
Pokémon Go recupera a fragilizada situação econômica da Nintendo

Pode-se capturar nove personagens históricos em vários lugares de Moscou, que não foram selecionados com base em um algoritmo, mas na sua relação com a história. Entre os escolhidos estão o imperador Pedro, O Grande, o compositor Piotr Chaikovski, o escritor Alexander Pushkin, o cosmonauta Yuri Gagarin e até mesmo Napoleão Bonaparte.

A ideia é oferecer aos visitantes um meio lúdico para percorrer a capital e aprender sobre a sua história. A partir de cada personagem, o usuário pode acessar o “Descubra Moscou” para ler informações e conselhos para os turistas.

‘Não é cópia’

A prefeitura, que investiu 1 milhão de rublos (cerca de 15.000 dólares) no projeto, não nega que seu aplicativo seja parecido com o Pokémon Go, mas garante que começou a desenvolver o programa há três anos.

O jogo Pokémon Go, um sucesso mundial, ainda não foi lançado oficialmente na Rússia, embora os fãs mais engenhosos tenham encontrado maneiras de baixá-lo. “O lançamento de Pokémon Go deu um impulso” ao aplicativo da prefeitura de Moscou, afirmou Kirill Kuznetsov, responsável pelo projeto.

Depois disso, foi necessário esperar até encontrar uma tecnologia acessível para poder digitalizar os personagens em três dimensões, detalhou Kuznetsov.

A próxima etapa será adicionar uma dezena de personagens ao aplicativo, um trabalho delicado porque é preciso escolher personalidades facilmente reconhecíveis por todos e, depois, encontrar modelos para caracterizá-los.

Leia também:
Suíça vai testar robôs-carteiros a partir de setembro
Rio supera previsão e recebe 1,17 milhão de turistas na Olimpíada

Para Maxim Malychev, diretor da Notamedia, empresa de design gráfico que desenvolve o aplicativo, “o mais complicado foi encontrar atores que se pareçam o máximo possível aos personagens”.

Por outro lado, a realidade aumentada “está muito desenvolvida”, e a partir de agora “é a criatividade o que permite aumentar os usos desta tecnologia: pode-se criar interações com os objetos ou brincar com instrumentos adicionais, como a perspectiva”, conclui Malychev.

(Com AFP)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Hahaha, imagino que a prefeitura de Moscou irá incluir imagens de todas as pessoas que foram perseguidas e mortas pelo governo, quando a Rússia atendia pelo nome de União Soviética. A cidade ficará coberta por fantasmas, na telinha dos smartphones.

    Curtir