Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Seis grupos disputam leilão 4G da Anatel

Por Rodrigo Petry

São Paulo – O leilão das faixas de frequência de 2,5 gigahertz (GHz) e de 450 megahertz (MHz) será realizado nesta terça-feira, na sede da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), em Brasília, a partir das 10 horas. As grandes operadoras de telefonia móvel do Brasil – Claro, TIM, Oi e Vivo -, além da Sky e da Sunrise, entregaram suas propostas e documentações para participação no processo. O valor mínimo proposto pelo governo, somado todos os lotes, é de R$ 3,8 bilhões.

Na faixa de 2,5 GHz será introduzida no Brasil a telefonia móvel de quarta geração (4G), que promete maior qualidade e velocidade na transmissão de dados. Com a licitação da faixa de 450 MHz, as áreas rurais serão contempladas com serviços de voz e internet banda larga.

Segundo cronograma do edital, todos os municípios com mais de 100 mil habitantes devem ter cobertura 4G até 31 de dezembro de 2016. As cidades-sede da Copa das Confederações precisam ser cobertas pelo 4G até 30 de abril de 2013, enquanto as da Copa do Mundo devem contar com o serviço até 31 de dezembro de 2013.

Serão leiloados seis lotes, dois regionais e quatro nacionais. Estes são nas subfaixas W (região Norte e Bahia), X (São Paulo, Minas Gerais e maior parte do Nordeste), V1 (Santa Catarina, Paraná, Rio de Janeiro e Espírito Santo) e V2 (Rio Grande do Sul e Centro-Oeste). O preço mínimo para os lotes W e X é de R$ 630 milhões e para os V1 e V2, de R$ 315 milhões.

A analista de telecomunicações da BES Securities, Jessica Antunes, destaca que para a Vivo a faixa de 4G ajudará a expandir seus serviços para fora de São Paulo, enquanto para a Oi contribuirá para melhorar a qualidade da rede. No caso da TIM, segundo a analista, será uma oportunidade de diversificação de sua base de clientes,concentrada no segmento pré-pago.

O processo de licitação do 4G ocorre no momento em que a tecnologia anterior, a 3G, ainda se consolida. Segundo levantamento da Teleco e da Huawei, 51,8% dos municípios e 85,3% da população eram atendidos com o 3G ao final do primeiro trimestre deste ano.

A atual cobertura de 3G já supera os compromissos estabelecidos, em termos de atendimento da população, exigidos pela Anatel para o ano de 2016, de 83%. Já em municípios atendidos, as empresas estão dentro do cronograma previsto, superando as metas para 2013. Até 2016, 68% dos municípios devem ser atendidos com o 3G.

Além disso, as empresas vêm investindo desde o ano passado na expansão da rede HSPA+ (ou 3G Plus), que atinge velocidade de transmissão de dados até três vezes superior à tecnologia atual. A Vivo, por exemplo, pretende expandir o HSPA+ para toda rede de 3G este ano.

No final de abril, segundo dados da Anatel, a Claro liderou os acessos de 3G via aparelho, com 15,3 milhões, seguido por Vivo, com 13,7 milhões; TIM, com 12,8 milhões; e Oi, 3,7 milhões. Em terminais de dados, Vivo tem 3,8 milhões de acessos; TIM, 2,5 milhões; Claro, 1,7 milhão; e Oi, 600 mil.

Em termos de municípios já cobertos com o 3G, ao final do primeiro trimestre, a liderança era da Vivo, com 2.727 cidades. Na sequência estão Claro (866), TIM (512) e Oi (308).