Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Rússia se dispõe a ingressar na OMC após acordo com a Geórgia

Moscou, 3 nov (EFE).- A Rússia anunciou nesta quinta-feira que se dispõe a ingressar na Organização Mundial do Comércio (OMC) após alcançar um princípio de acordo com a Geórgia.

‘Solucionamos praticamente todos os problemas, inclusive os que tínhamos com a Geórgia’, afirmou Sergei Riabkov, vice-ministro de Relações Exteriores, citado por agências de notícias russas.

O diplomata garantiu que a Rússia, maior economia fora da OMC, precisará de mais alguns dias antes de formalizar os acordos definitivos.

‘Acreditamos que na próxima semana possamos anunciar a conclusão do processo, para que então o assunto seja abordado no dia 15 de dezembro pela conferência ministerial da OMC’, comentou.

O negociador-chefe russo, Maxim Medvedkov, confirmou hoje que a parte russa alcançou um consenso com a Geórgia sobre a proposta apresentada pela Suíça, mas não especificou os detalhes do acordo.

A Suíça propôs na semana passada em Genebra a supervisão internacional dos postos de alfândega entre a Rússia e as regiões separatistas georgianas da Abecásia e da Ossétia do Sul, que foi aceita pelos georgianos, enquanto Moscou pediu tempo para responder.

A proposta, que esta semana foi rejeitada por autoridades das regiões separatistas, inclui a troca eletrônica de dados sobre o movimento de mercadorias entre ambos territórios.

O presidente georgiano, Mikhail Saakashvili, qualificou hoje o acordo de ‘vitória diplomática’ para seu país, que decidiu bloquear em 2008 o ingresso russo até que Moscou deixasse de contestar sua soberania.

‘O principal é que pela primeira vez desde 1992-93 nos asseguramos que receberemos informação sobre a circulação de todas as mercadorias em território georgiano através do túnel de Rog’, que une a Ossétia do Sul com a Rússia, disse.

A Geórgia, que rompeu relações com a Rússia após a guerra pelo controle da Ossétia do Sul em agosto de 2008, era o último obstáculo para o ingresso russo na OMC, para a qual vem sendo convidada desde 1993.

O próprio presidente russo, Dmitri Medvedev, expressou hoje durante a cúpula do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países ricos e os principais emergentes), em Cannes, sua confiança em que a Rússia consiga formalizar sua entrada no final deste ano.

Medvedev tinha pedido à Geórgia a suspensão do bloqueio ao ingresso russo, justificando que o Kremlin a consideraria um primeiro passo na normalização das relações bilaterais.

O chefe do Kremlin garantiu em várias ocasiões que a Rússia está ‘farta’ de esperar na ante-sala da OMC e criticou o fato de que o país esteja negociando sua entrada por mais tempo que a China, membro desde 2001.

Enquanto isso, o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, solicitou aos Estados Unidos e aos países europeus que apoiem a entrada da Rússia na OMC e não se escondam atrás do veto da Geórgia.

‘Nossos parceiros na Europa e os EUA querem ou não querem que a Rússia seja membro da OMC?’, questionou Putin, citado por agências russas.

Segundo os especialistas, o setor agrícola e o de automação, devido a seu atraso tecnológico e falta de competitividade, e o aeronáutico serão os que mais sofreram com a entrada da Rússia na OMC.

A Rússia já antecipou que se reservará o direito de subsidiar seus produtores agrícolas com ajudas que serão reduzidas gradualmente com o passar do tempo.

Em relação aos hidrocarbonetos, a Rússia não sentirá nenhum impacto, já que as exportações de gás e petróleo, que representam mais da metade de sua receita, não estão submetidas a tarifas. EFE