Residências impulsionam consumo de energia no Brasil em novembro

Segundo EPE, houve aumento de 3,3% no penúltimo mês do ano em relação ao mesmo mês de 2012

O consumo de energia elétrica no Brasil em novembro de 2013 subiu 3,3% ante mesmo mês de 2012, afetado principalmente pela maior demanda das residências e do comércio. O consumo total do país em novembro totalizou 39.902 gigawatts-hora (GWh), sendo que a demanda das residências subiu 4,2% e do comércio aumentou 4,8%, informou a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) nesta segunda-feira.

Foram consumidos em novembro 10.666 GWh nas residências do país, um aumento de 427 GWh em relação a novembro de 2012, sendo que a região Nordeste, sozinha, participou com mais da metade desse acréscimo de energia, ou 236 GWh. “No ano, o consumo na região (Nordeste) acumula aumento de 11,6%, favorecido pela aquisição de mais eletrodomésticos pelas famílias”, informou a EPE, na Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica.

Leia mais:

Carga total de energia sobe 3,6% em outubro, diz ONS

Vale vende para Cemig parte de fatia na Norte Energia

Indústria – Já a indústria apresentou aumento de apenas 1,8% no consumo de energia em novembro ante o mesmo mês de 2012. O consumo industrial apresentou aumento em todas as regiões do Brasil no mês, com exceção do Nordeste, onde houve recuo de 5%. “A maior influência sobre essa taxa veio do Maranhão (-26,4%), onde o setor de produção de alumínio continua com o consumo retraído”, informou a EPE. A maior contribuição positiva, por outro lado, partiu da região Sul, onde o consumo de energia teve uma expansão de 6,2%, com crescimento em todos os Estados.

O consumo industrial de energia elétrica totalizou 15.761 gigawatts-hora (GWh) em novembro. Com o resultado, o consumo da indústria ficou positivo no acumulado em 12 meses pela primeira vez em 2013, com ligeira alta de 0,1%.Na comparação com novembro de 2012, houve aumento de 1,8% no consumo de energia elétrica pelo setor.

Leia ainda: Indústria puxa resultado ruim de emprego

Produção industrial sobe 0,6% em outubro, informa IBGE

(com agência Reuters e Estadão Conteúdo)