Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Reservatórios do Sudeste continuam em queda

Na terça-feira, antes do apagão, Sul registrou recorde de demanda de energia, segundo dados do ONS

O nível dos reservatórios das hidrelétricas segue em queda no Sudeste, segundo dados divulgados nesta quarta-feira pelo Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). Na quarta-feira, o Sul bateu recorde de demanda por energia, pouco antes do apagão.

A depreciação dos reservatórios das hidrelétricas em janeiro e fevereiro não é comum, dado que nesses meses tradicionalmente úmidos, as represas costumam encher e ajudam no abastecimento de energia durante o período seco. Contudo, atipicamente, o ano começou quente e com poucas chuvas, o que levou as reservas no sistema Sudeste/Centro-Oeste – maior do país – a 39,21% de armazenamento. No final de dezembro, esse nível era de 43,18%.

Leia também:

Risco de apagão no Sul e Sudeste já supera 20%, aponta estudo

Preço da energia dispara e previsão é de calamidade para o ano​

No Sul, o nível é 53,94%, ante 57,74% ao final de dezembro. A região teve recorde de demanda máxima instantânea de carga na terça-feira às 14 horas, atingindo 17.412 megawatts (MW). O recorde anterior foi em 29 de janeiro. Já no Nordeste, as represas tiveram elevação de 33,81% em dezembro para 42,80%. No Norte, o nível subiu de 46,19% para 65,03%.

O ONS e agentes do setor estimam que as chuvas deverão continuar escassas no Sudeste/Centro-Oeste nesse início de fevereiro. O atraso do período úmido levou ao recorde de alta do preço de energia de curto prazo e gerou temores sobre o abastecimento do país ao longo do ano, embora representantes do governo tenham descartado racionamento de energia após o apagão que atingiu cerca de 6 milhões de consumidores na terça-feira.

Leia ainda:

Governo federal busca saída para caixa da Eletrobras

Bandeira tarifária já teria encarecido conta de luz

(com agência Reuters)