Reforma trabalhista: relatório deve ser lido hoje no Senado

A expectativa é de que a votação do parecer na Comissão de Assuntos Sociais ocorra dia 21; projeto ainda precisa passar por outra comissão e pelo plenário

O relatório da reforma trabalhista  deve ser lido nesta terça-feira na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, após acordo entre os senadores da oposição e da base aliada do governo. O parecer de Ricardo Ferraço (PSDB-ES) é favorável à reforma e mantém o texto como foi aprovado na Câmara dos Deputados.

Na reunião também devem ser lidos os votos em separado apresentados por integrantes da comissão. A expectativa é de que a votação do relatório na comissão ocorra dia 21 de junho.

A reforma trabalhista foi aprovada na Comissão de Assuntos Econômicos no último dia 6 e o relator também foi o senador Ricardo Ferraço. Na CAE, o relatório foi aprovado por 14 votos favoráveis e 11 contrários sem que fossem feitas alterações no texto vindo da Câmara. A proposta de reforma ainda deve passar pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) antes de seguir para votação no plenário da Casa.

Apesar de não propor alterações no texto aprovado pela Câmara, o relator sugere que o presidente Michel Temer vete seis pontos, entre eles o trabalho intermitente, a jornada de 12 horas de trabalho por 36 horas de descanso e a possibilidade de atividade insalubre para gestantes mediante atestado médico.

Segundo Ferraço, alguns dos vetos sugeridos estão acordados com o presidente Temer. Senadores da oposição discordam da estratégia e dizem que assim a Casa está abrindo mão de melhorar a proposta.

(Com Agência Brasil)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ADRIANOVIAJANTE007

    Este é o verdadeiro golpe contra os trabalhadores. Fora Temer.

    Curtir

  2. Tadeu Passarelli

    “Senado”??? tudo bandidos, vagabundos, jamais votarão ou criarão algo de útil, são INÚTEIS a corja… “reforma”? puá, mentira!!!! Só votam, na calada da noite, aumento salarial para ÊLES MESMOS, como sempre; urnas eletronicas fraudadas.

    Curtir