Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Receita do Grupo Pão de Açúcar sobe 6% no 2º trimestre

Vendas da maior varejista do Brasil tiveram desaceleração frente ao crescimento anual de quase 15% do primeiro trimestre deste ano

O Grupo Pão de Açúcar (GPA), maior varejista do Brasil, teve avanço de 6% na receita líquida no segundo trimestre sobre igual período do ano passado, uma desaceleração frente ao crescimento anual de quase 15% do primeiro trimestre deste ano. De abril a junho, a receita líquida da companhia somou 16,1 bilhões de reais, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira. No primeiro trimestre, a receita líquida havia somado 17,2 bilhões de reais.

De acordo com o GPA, o desempenho de vendas no segundo trimestre foi afetado negativamente por uma base de comparação maior devido à Copa do Mundo de futebol e pela Páscoa, que este ano concentrou parte das vendas no primeiro trimestre, enquanto no ano passado concentrou integralmente no segundo.

Na divisão alimentar, as vendas líquidas da bandeira de atacarejo Assaí subiram 25,6% sobre um ano antes, para 2,4 bilhões de reais, enquanto o segmento multivarejo, das bandeiras Extra e Pão de Açúcar, teve avanço de 0,7%, para 6,5 bilhões de reais. Na divisão não-alimentar, a Cnova, que reúne as atividades de comércio eletrônico do GPA e de seu controlador francês Casino, teve avanço anual de 122% na receita líquida trimestral, para 2,8 bilhões de reais.

A Via Varejo, que opera as bandeiras Casas Bahia e Pontofrio, teve uma receita líquida de 4,32 bilhões de reais no segundo trimestre de 2015, queda de 21,7% na comparação com o mesmo período do ano anterior. A retração da venda de televisores, diz o GPA, foi o principal fator que levou à piora nas vendas.

Leia também:

Vendas globais do McDonald’s caem 0,3% em maio

Banco do Vaticano anuncia lucro de € 69,3 milhões em 2014

Em comunicado, o GPA destacou o desempenho nas vendas do negócio de alimentos foi “sólido”, principalmente na bandeira de atacado de autosserviço, o Assaí.

O GPA vem adotando um plano para recuperação das vendas na bandeira Extra, que envolve reformas sobretudo nos hipermercados da bandeira. Foram reformadas 24 lojas da bandeira Extra no trimestre, sendo dois supermercados e 22 hipermercados, informou a companhia. “As lojas que passaram pelo processo de modernização apresentaram os primeiros sinais de recuperação nas vendas mesmas lojas”, diz o GPA.

(Com Estadão Conteúdo)