Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Quase metade das lojas de novos shoppings está desocupada

Em média, vacância nos centros de compras inaugurados entre 2013 e 2015 é de 45%, segundo o Ibope Inteligência

A vacância média nos shopping centers brasileiros inaugurados entre 2013 e 2015 é de 45%, segundo pesquisa da unidade de shopping, varejo e imobiliário do Ibope Inteligência. Esse porcentual corresponde a cerca de 6.000 lojas desocupadas nos 77 centros comerciais inaugurados no período.

A tendência é a situação piorar ainda mais, já que há 58 shoppings em construção, o que deve elevar a capacidade instalada em 15% nos próximos três anos. “O crescimento acelerado teve seu preço. Muitos projetos foram superdimensionados ou instalados em localizações duvidosas”, disse a diretora da unidade de shopping, varejo e imobiliário do Ibope Inteligência, Marcia Sola, em nota. “O caixa cheio de algumas empresas levou a uma expansão desordenada, cujo resultado é o que se vê agora: shoppings centers com elevadas taxas de vacância e projetos prontos que postergam sua inauguração por falta de varejistas.”

Nos empreendimentos inaugurados até 2012, considerados consolidados, a situação é melhor, com a taxa atual de vacância de 7,6% em área e 9,1% em número de lojas. “Nesse patamar, a vacância ainda é gerenciável. O problema é que a fila de espera de varejistas na maior parte dos shoppings acabou, o que significa que ficará cada vez mais difícil repor os espaços vagos”, disse Marcia Sola.

Considerando os empreendimentos novos e consolidados, a taxa de vacância é de 15%, ou o equivalente a 1,73 milhão de metros quadrados e 12.000 lojas vagas. A esses vão se somar cerca de 11.400 lojas, ou 1,75 milhão de metros quadrados, que estão em fase de construção.

“Se, na melhor das hipóteses, acontecer uma retomada ainda que moderada da economia no segundo semestre, e que esse movimento se acelere nos próximos anos, serão necessários seis anos para todo o espaço vago existente no mercado atualmente ser ocupado. Ou seja, para empreendedores mais cautelosos, novos projetos devem mirar 2022 ou além”, disse Marcia.

A pesquisa também mostra que, entre setembro de 2015 e fevereiro de 2016, foram inauguradas 5.850 operações varejistas nos shoppings consolidados. Em contrapartida, 5.600 foram fechadas, com destaque negativo para varejistas relacionados a casa – eletrodomésticos, móveis, decoração e cama, mesa e banho.

Leia também:

Mais pobre, pessimista e vulnerável: este é o brasileiro da atualidade

(Com Reuters)