Produção de petróleo cresce 6,9% em fevereiro, diz ANP

Por Sabrina Valle

Rio de Janeiro – A produção de petróleo no Brasil no mês de fevereiro foi de 2,205 milhões de barris ao dia, segundo informou nesta terça-feira a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Houve aumento de 6,9% na produção em comparação com o mesmo mês de 2011 e redução de 1,1% ante o mês de janeiro.

A ANP destaca que fevereiro foi o terceiro mês consecutivo que a produção fica acima de 2,2 milhões de barris ao dia. Dois campos iniciaram a produção antecipada em fevereiro em função de declarações de comercialidade: Baúna, com 16,9 mil barris de óleo equivalente por dia (boe/d), e Piracaba, com 9,1 mil boe/d. Ambos são concessões na Bacia de Santos, 100% Petrobras.

A produção de gás natural ficou em torno de 67 milhões de metros cúbicos ao dia, alta de 6,8% sobre fevereiro de 2011 e redução de 5,7% sobre o mês de janeiro. Segundo a ANP, 91,7% da produção de petróleo e gás é proveniente de campos operados pela Petrobras. Perto de 92% da produção de petróleo e 76% da de gás natural do Brasil foram extraídos de campos marítimos. O campo de Marlim Sul foi o que registrou a maior produção, com uma média de 352,8 mil barris de óleo equivalente/dia (boe/d).

Dos 20 maiores campos produtores de petróleo e gás natural, três são operados por empresas estrangeiras: Frade/Chevron (11º lugar), Peregrino/Statoil (12º), e Ostra/Shell (15º). Quatro poços terrestres estão na relação dos 30 com maior produção de gás natural, sendo dois do campo de Rio Urucu e dois do campo de Leste do Urucu, informou a assessoria de imprensa da agência, em nota.

Em relação à queima de gás houve redução de 31,9% em fevereiro (aproximadamente 3,3 milhões de metros cúbicos ao dia) sobre fevereiro de 2011. Em relação a janeiro, a queda foi de 26,8%. Segundo a ANP, os principais motivos para a redução da queima de gás natural foram a interrupção do TLD-BM-S-9 (teste de longa duração no bloco BM-S-9) e a menor queima em Marlim Sul, em função do período final das atividades de comissionamento da plataforma P-56.

Do total de gás natural queimado, 95,4% são oriundos de campos produtores e 4,6%, de testes de longa duração (TLDs) de áreas na Fase de Exploração. Considerando os campos produtores, o aproveitamento de gás natural no mês foi de 95,3%, informou a ANP.