Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Pilotos e comissários aprovam estado de greve contra reformas

Assembleia irá definir adesão ou não à paralisação na quinta-feira

Os trabalhadores filiados ao Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) decidiram nesta segunda-feira entrar em estado de greve contra as reformas trabalhista e da Previdência do governo Michel Temer. A entidade realiza nova assembleia na quinta para decidir se adere à greve geral marcada para sexta-feira, do dia 28 de abril, convocada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) e outras centrais sindicais.

Nos próximos três dias, o sindicato estará em Brasília para discutir com os políticos pontos das reformas com as quais não concordam e que podem prejudicar a categoria.

Segundo o presidente do SNA, Rodrigo Spader, há pontos da reforma trabalhista que prejudicam os aeronautas.

“Existem vários pontos que nos afetam. Por exemplo, como há períodos de alta e baixa temporada, os tripulantes poderiam ser usados na alta temporada e dispensados depois. Isso é uma precarização sem precedentes para o aeronauta”, explicou Spader.

O presidente ressalta que o governo precisa escutar as reivindicações da categoria para que a ‘precarização não aconteça’. “Várias vezes ao ano, somos confrontados por exames de saúde. Se um aeronauta perdesse uma carteira de saúde, por exemplo, poderia ser dispensado por justa causa”.

Outra reclamação do sindicato é em relação à reforma da Previdência. Segundo a entidade, não é mais possível pilotar em voos internacionais a partir dos 65 anos.

Ferroviários de São Paulo

Os trabalhadores do sindicato que representam as linhas 10-Turquesa e 7-Rubi da CPTM, de São Paulo, irão realizar assembleia na noite de terça-feira para decidir se irão aderir ou não à paralisação das atividades durante o dia 28 de abril.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Atsushi Shiino

    Não se deixe levar pelos sindicatos. Peça uma palestra de um elemento neutro sobre o assunto. Vocês são as pessoas que vão sofrer as consequências diretas das reformas (ou não-reformas).

    Curtir

  2. Atsushi Shiino

    Ainda, é uma ótima oportunidade para pedir isonomia de direitos e não deixar que hajam setores privilegiados (leia-se funcionalismo público).

    Curtir

  3. Essa é a greve do pt?

    Curtir

  4. José Antonio Debon

    Pois que parem na quinta feira cedo, para manter os vagabundos em Brasilia e a imprensa identificar quem está usando jatinho.

    Curtir

  5. Democrata Cristão (Liberdade de Expressão é meu direito CF 88 art 5 e art 220)

    Acabe com o Imposto Sindical e então acabará a baderna!

    Curtir

  6. Talita Sæther Diva Mara Maravilha

    É só demitir esse bando de mamadores de tetas do Governo! O que não falta é gente desempregada querendo trabalhar!!

    Curtir

  7. Francisco Cioffi

    Cansei de ser massa de manobra de sindicato e político. Acabem com a contribuição sindical obrigatória. Brasil o país que mais tem sindicatos no mundo. Com reforma ou sem reforma quem vai atrás de sindicato e sindicalista só se ferra. Não se deixe enganar pela turminha do “a luta continua companheiro” vejam no que deu !

    Curtir

  8. Tio Do lanche

    Luta pelo companhero Lula da 51, tudo lá gritando, mas duvido que metade leu o texto da reforma… Vão aonde os outros vão sem saber, tipo vaca indo pro abate.

    Curtir

  9. Idiotas, se as reformas não forem feitas, vcs não terão nem mais seus empregos. Seus sindicatos, o usam como massa de manobra, fomentam a ideologia da esquerda bolivariana e não estão voltados para os interesses de vcs e da pátria. Vcs querem se tornar uma Venezuela?

    Curtir

  10. Monique Paula da Costa Diana

    E o que acontece se não conseguimos viajar nesse dia? Nossas passagens são reembolsadas?
    Alguém sabe me dizer?

    Curtir