Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Petróleo volta a recuar, e bolsas chinesas tombam mais de 6%

Forte movimento de vendas de ações no fim do pregão desta terça derrubou principais indicadores; no ano, bolsas do país acumulam perdas de 22%

Uma nova queda dos preços do petróleo reacendeu preocupações com o crescimento global e provocou vendas generalizadas nos mercados de ações nas bolsas chinesas nesta terça-feira. Os principais indicadores do mercado acionário do país desceram a seus menores níveis em mais de um ano.

Pressionado por um frenesi de vendas no fim da sessão, o índice de Xangai despencou 6,38%, a 2.751 pontos, seu menor nível de fechamento desde 1º de dezembro de 2014. O índice CSI300, das maiores companhias listadas em Xangai e Shenzhen, tombou 6,02%, a 2.940 pontos, também o menor nível desde o começo de dezembro de 2014.

Após uma recuperação na sexta-feira e no começo da sessão desta segunda, os preços do petróleo voltaram a ficar abaixo 30 dólares o barril, não muito longe da mínima de doze anos atingida na semana passada. Essa queda interrompeu dois dias de ganhos das ações de Wall Street.

Os instáveis mercados acionários chineses já tiveram desvalorização de 22% até o momento neste ano, com preocupações sobre a desaceleração econômica e confusão sobre a política cambial do banco central. Muitos investidores perderam o apetite pelo mercado após os movimentos do ano passado, quando as ações despencaram 40%. O governo chinês interveio para limitar a deterioração e orquestrou uma recuperação, mas qualquer um que tenha confundido aquilo com uma mínima e voltado ao mercado terá perdido tudo em janeiro novamente.

“Temos visto outra debandada provocada por pânico”, disse Yang Hai, analista do Kaiyuan Securities. “Não há boas notícias à vista, e investidores estão sendo afetados pelo humor global de aversão ao risco.”

Leia mais:

PIB da Rússia encolhe 3,7% em 2015

Mundo jamais construiu tantos arranha-céus como em 2015

(Com Reuters)