Petrobras renova mandato de Pedro Parente até março de 2019

Parente foi eleito para o cargo a partir de 31 de maio de 2016, substituindo Aldemir Bendine

O conselho de administração da Petrobras aprovou a recondução de Pedro Parente ao cargo de presidente-executivo da companhia, para um mandato de dois anos, segundo comunicado divulgado nesta segunda-feira – referindo-se a uma reunião realizada no domingo.

O comunicado destacou que Parente havia sido eleito para o cargo a partir de 31 de maio de 2016, substituindo Aldemir Bendine.

Parente assumiu a presidência como uma das medidas do presidente Michel Temer, que assumiu o Palácio do Planalto no ano passado em meio ao processo de impeachment de Dilma Rousseff.

A assessoria de imprensa da companhia informou que o novo mandato de Pedro Parente começou a valer no domingo e vai até 26 de março de 2019.

A Petrobras registrou um prejuízo líquido de 14,824 bilhões de reais em 2016. Foi o terceiro ano seguido de resultado negativo para a estatal. Em 2015, a empresa teve um prejuízo recorde de 34,8 bilhões de reais. Em 2014, a perda foi de 21,6 bilhões de reais.

 Em comunicado, a Petrobras atribuiu o resultado anual “principalmente, do impairment [reavaliação] de ativos e de investimentos em coligadas, no valor total de R$ 20.891 milhões”.

Apesar do prejuízo anual, a companhia encerrou o quarto trimestre do ano com lucro líquido de 2,5 bilhões de reais.

(Com agência Reuters)