Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

País cria 29.595 vagas formais em janeiro — abaixo do esperado

Analistas estimavam a criação de 50 mil postos de trabalho para o período; número está levemente acima das 28 900 vagas criadas no ano passado

O Brasil registrou a abertura de 29.595 vagas de trabalho em janeiro, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgado pelo Ministério do Trabalho nesta quinta-feira. O número é menor que a média de projeções de economistas, que apontava para a abertura de 50 mil vagas. O número também não conseguiu compensar o resultado de dezembro, quando foram fechados 449.444 postos com carteira assinada. Em janeiro de 2013, o país havia criado 28 900 vagas.

Em janeiro, o comércio foi o único que registrou fechamento de vagas (78.118 no total), por motivos sazonais, segundo o Ministério. Entre os demais setores, o destaque ficou para a indústria de transformação, com criação de 38.516 postos de trabalho. Esses dados não foram ajustados por movimentos sazonais.

Em 2013, a criação líquida de vagas no mercado de trabalho foi de 730,6 mil no ano nos dados sem ajuste sazonal e de 1,1 milhão com ajustamento (que conta admissões feitas após o prazo para o envio das informações ao Ministério do Trabalho).

Leia mais:

Informalidade no emprego cai para 41,6% no Brasil, diz OIT

Emprego na indústria encerra 2013 em queda de 1,1%

Esses dados ajudaram o país a encerrar 2013 com taxa de desemprego de 4,3%, de acordo com dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Contudo, o número de desocupados voltou a subir em janeiro, como mostrou também nesta quinta-feira o instituto. A taxa de desemprego saltou para 4,8% e número de pessoas sem trabalho cresceu 9,6%, para 1,2 milhão de brasileiros.

Com a economia fraca e inflação alta em ano de eleição, o governo conta com o desempenho do mercado de trabalho e a continuidade da renda para gerar fatores positivos, capazes de neutralizar os focos de insatisfação.

(com agência Reuters)