Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

OGX deve interromper produção de três poços

Empresa emitiu comunicado ao mercado dizendo que não deve ampliar produção e que atividade poderá ser interrompida ao longo de 2014

A OGX, empresa petroleira do grupo EBX, de Eike Batista, anunciou nesta segunda-feira que os poços no campo de Tubarão Azul “não terão sua produção aumentada e poderão parar de produzir ao longo de 2014”, comunicou a companhia à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). A informação foi antecipada pela coluna Radar on-line.

Leia também:

Fitch rebaixa classificação de risco da OGX

Ação da OGX termina a semana cotada a R$ 0,97

Empresas de Eike têm dívida de R$ 7,9 bilhões, diz jornal

No comunicado, a empresa informa que concluiu uma análise detalhada da produção dos três poços, desde o início até agora. Com o levantamento, a companhia concluiu que “não existe, no momento, tecnologia capaz de viabilizar economicamente qualquer investimento adicional nesse Campo”. A companhia anunciou ainda que submeterá à Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) uma revisão do Plano de Desenvolvimento com base nas conclusões da análise.

Além dos três poços do Campo de Tubarão Azul, a OGX considerou inviáveis, no momento, os campos de Tubarão Tigre, Tubarão Gato e Tubarão Areia.

Em VEJA desta semana: Karine, o verdadeiro ponto X de Eike Batista

Também no comunicado, a empresa divulga que interromperá a construção, realizada pela OSX, de cinco unidades de produção. Com isso, a petroleira terá de desembolsar imediatamente 449 milhões de dólares para a OSX.

Sobre as metas, a companhia informou que não devem mais ser consideradas válidas as projeções anteriormente divulgadas, inclusive as que dizem respeito a suas metas de produção.

(com agência Reuters)