Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

OCDE vê perspectiva econômica melhor para China e EUA

O mesmo indicador aponta desaceleração na atividade econômica no Brasil

Enquanto a Europa apresenta uma expansão lenta e estável em sua economia, Brasil e Índia devem desacelerar em relação à média

A perspectiva de crescimento para as maiores economias do mundo é otimista em relação à América do Norte, China e Rússia, e moderada para maioria dos países europeus, segundo o indicador da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) divulgado nesta segunda-feira. O indicador para Estados-membros da OCDE subiu de 103,0 em fevereiro para 103,2 em março. A entidade aponta a média de 100 pontos como referência para antecipar, em aproximadamente seis meses, o recuo ou a aceleração da economia de um país.

A pesquisa mostra uma “força recuperada na atividade econômica” da China e do Canadá. Estados Unidos, Alemanha e Rússia também passam por uma expansão acima da média, apontou a OCDE. Há otimismo ainda no indicador para os países do G7, que, tirando o Japão, subiram de 103,4 para 103,6. Já para a zona do euro, o indicador caiu de 103,2 para 103,1.

O ritmo de expansão será “estável, mas lento” na França e na Grã-Bretanha, enquanto Itália, Brasil e Índia rumam para “desaceleração na atividade econômica em relação à média”, divulgou a OCDE. Não há estimativas para o Japão por causa das circunstâncias excepcionais que o país enfrenta após o terremoto e o tsunami de março.

(com agência Reuters)