Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

No embate entre Argentina e Alemanha, Adidas é a vencedora

Marca esportiva patrocina não só a Fifa, mas também as duas seleções finalistas da Copa do Mundo

Patrocinadoras oficiais de times da Copa do Mundo, a alemã Adidas e a americana Nike são tradicionais rivais nos negócios. Embora a Adidas forneça a bola do Mundial desde 1970, pela primeira vez foi a Nike que vestiu mais equipes no torneio do Brasil – 10 de 32 seleções, incluindo o Brasil, comparados às nove da Adidas. Contudo, no jogo decisivo é a alemã, também patrocinadora da Fifa, que vai levar a melhor. Pela primeira vez desde 1990, a empresa é a fornecedora dos uniformes das duas finalistas (Alemanha e Argentina) e também das chuteiras de muitos de seus astros, além dos uniformes dos árbitros e da bola. A Adidas patrocina 15 jogadores que estarão em campo. “A Adidas será a marca mais visível na final da Copa do Mundo”, disse o presidente da empresa, Herbert Hainer.

As duas empresas dominam a indústria de acessórios esportivos, que movimenta mais de 5 bilhões de dólares por ano, e dividem mais de 80% do mercado de produtos no setor. Contudo, no mais recente round da batalha pelo posto de maior marca do mundo do futebol, a Nike vem ameaçando a liderança da Adidas até mesmo na Europa, seu território por excelência.

Leia também:

Marcas patrocinadoras tentam minimizar clima de fracasso

Rivais Nike e Adidas lançam novas chuteiras de cano alto

Nike pode descontinuar pulseira inteligente FuelBand

Competição – Só não está claro quanto tempo a predominância da Adidas durará. A empresa alemã espera vendas recordes de 2,7 bilhões de dólares em sua divisão de futebol em 2014, enquanto a Nike não informou sua projeção de vendas. Apenas anunciou faturamento de 2,3 bilhões de dólares em seu ano fiscal, concluído em maio. “Mais uma vez, estamos sublinhando nossa posição como maior marca mundial do futebol. Globalmente, a Adidas é a número um com folga no futebol”, acrescentou Hainer, da Adidas.

Apesar de nenhum time da Nike ter chegado à final, a empresa americana, que só se tornou uma potência no futebol depois da Copa de 1994 – sediada nos EUA -, já superou a Adidas nas vendas de chuteiras na maioria dos países. Ela ainda prevê mais um aumento de 21% nas vendas de produtos ligados ao futebol em seu atual ano fiscal.

Leia também:

Adidas diz que Copa do Mundo impulsionará vendas de artigos esportivos

Copa derruba preço de pacotes turísticos

Copa do Mundo – Até agora, a Adidas vendeu cerca de oito milhões de camisas de seleções no mundo e 14 milhões de unidades da Brazuca, a bola oficial da Copa, desde o lançamento dos produtos no fim do ano passado. Na Copa de 2010, a marca vendeu menos 1,5 milhão de unidades da bola oficial, Jabulani, na comparação com a bola da Copa no Brasil. O uniforme da seleção da Alemanha foi o mais vendido, com dois milhões de unidades. Argentina, Colômbia e México ficaram na casa de 1 milhão cada.

(com agência Reuters e Estadão Conteúdo)