Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Mercados grego e espanhol levam ganho a bolsas da Europa

Por Renan Carreira

Londres – As bolsas europeias fecharam em alta nesta quinta-feira, com os mercados grego e espanhol dando a volta por cima diante das últimas quedas, enquanto resultados melhores do que os esperados do banco italiano UniCredit impulsionaram as finanças. Também pesou para o lado positivo o otimismo com a possibilidade de formação de uma coalizão na Grécia. O índice Stoxx Europe 600 terminou a sessão em alta de 0,55%, aos 251,10 pontos.

Os papéis da Hennes & Mauritz subiram 0,9% após a companhia ter suas ações melhor avaliadas pelo UBS. A francesa Total avançou 1,9% com o aumento do preço do petróleo. As ações da seguradora holandesa e grupo de pensões Aegon saltaram 10,1% após a empresa divulgar um surpreendente aumento no lucro do primeiro trimestre.

As ações do UniCredit registraram ganho de 6,8% depois de a instituição reportar um aumento de 13% no lucro do primeiro trimestre, superando o consenso de analistas ouvidos pela Dow Jones. O FTSE MIB, da Bolsa de Milão, subiu 1,69%, para 14.004,94 pontos. A2A avançou 9,7% depois de números do primeiro trimestre melhores que os esperados.

Na Espanha, a medida do governo anunciada na quarta-feira, de assumir uma participação de 45% no banco Bankia, impulsionou o Ibex 35. O índice fechou em alta de 3,42%, a 7.045,70 pontos, com Banco Santander (+5,99%) Bankinter (+5,66%) e Banco Bilbao Vizcaya Argn (+5,99%). Por outro lado, Bankia recuou 1,17%. Repsol registrou alta de 8,2% após divulgar lucro maior que o esperado.

Na Grécia, o partido grego Esquerda Democrática (DeMar) mudou de posição. Alguns dias atrás, a agremiação tinha dito que poderia participar de uma coalizão com os partidos de esquerda, liderada pela Coalizão de esquerda Radical (Syriza). Porém, nesta quinta-feira, o DeMar disse que a postura do Syriza pode levar a Grécia a um calote e à saída da zona do euro, deixando a porta aberta para uma aliança com o Nova Democracia e o Partido Socialista (Pasok), que defendem o segundo pacote de resgate recebido pela Grécia, e assim a permanência do país no bloco monetário.

No início da tarde o líder do Pasok, Evangelos Venizelos, e o líder do DeMar, Fotis Kouvelis, fizeram uma reunião. Kouvelis propôs uma coalizão de governo com todos os sete partidos que conseguiram representação no Parlamento, que teria um mandato menor, até 2014. Venizelos se limitou a dizer que a postura do DeMar é um sinal positivo. Ele deve se reunir ainda hoje com o líder do Syriza, Antonis Tsipras. O ASE, da Bolsa de Atenas, subiu 4,2%, fechando a 640,91 pontos. As ações do National Bank of Greece saltaram mais de 12%.

O índice CAC 40, da Bolsa de Paris, subiu 0,37%, para 3.130,17 pontos. Peugeot Citröen avançou 8,1% após a companhia ter seus papéis mais bem avaliados pelo UBS. Vallourec teve alta de 1,5% e EDF subiu 3%. Na Bolsa de Frankfurt, o índice DAX avançou 0,66%, fechando a 6.518,00 pontos. Deutsche Boerse teve alta de 3,9% e MAN registrou ganho de 3,6%. Deutsche Telekom subiu 3%.

Em Londres, o índice FTSE registrou alta de 0,25%, fechando a 5.543,95 pontos. Os bancos avançaram, com Lloyds Banking Group (+4,3%) e Barclays (+3,2%). ARM Holdings subiu 4,1% após ter seus papéis mais bem avaliados. Por outro lado, Experian recuou 4,3% após apresentar resultados desapontadores no ano fiscal. Em Portugal, o índice PSI 20, da Bolsa de Lisboa, avançou 0,37%, para 5.237,85 pontos. As informações são da Dow Jones.