Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Meirelles diz estar focado em trabalho no Ministério da Fazenda

Ministro da Fazenda afirma que PIB vai crescer 3,2% no quarto trimestre em relação ao período anterior

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles disse nesta quinta-feira que está concentrado na economia brasileira e que não pensa em uma candidatura à Presidência da República. Na véspera, o líder do PSD na Câmara, Marcos Montes (MG), afirmou que o ministro recebera com “entusiasmo” o convite da bancada para disputar o Palácio do Planalto.

“Não estou preocupado com a decisão que vou tomar ano que vem, estou focado no meu trabalho no Ministério da Fazenda. Tudo no seu devido tempo”, disse Meirelles.

Em evento em São Paulo, Meirelles explicou que não houve um convite formal de seu partido, o PSD. “O que houve foi uma manifestação de um grande número de parlamentares favorável a essa possibilidade. Eu fiquei honrado”, completou.

Em relação à recuperação da economia, o ministro avaliou que ela é nítida e está se acentuando. A previsão do governo é de que Brasil deve crescer 2,7% no quarto trimestre na comparação com o mesmo período do ano passado, e 3,2% ante o terceiro, em termos anualizados. “Significa que estaremos entrando em 2018 com 3,2% de alta do PIB, indicando um crescimento forte. Tivemos uma queda de PIB de 3,6% no ano passado, então um crescimento de 3,2% é bem substancial”, disse Meirelles.

Segundo ele, o consumo de bens duráveis, assim como o investimento em bens duráveis já começou a subir depois de um longo período de queda. “Investimento no setor imobiliário é o que está mais problemático.” Meirelles também afirmou a melhora em alguns setores industriais, como o têxtil, o de metalurgia e o automobilístico.

Além disso, o ministro citou a recuperação do setor de crédito. “O nível de endividamento das empresas aparentemente se estabilizou e já há sinalização de que estão tomando crédito.”

Ele também celebrou o início do processo de recuperação do emprego. “Há medidas que mostram que está caindo o desemprego. A tendência é de que siga essa trajetória de queda. Isso é muito importante por questões de consumo. Já estamos vendo nessa área um melhor desempenho, apesar do desemprego ser uma questão defasada.”

Previdência e despesas públicas

O ministro da Fazenda disse ainda que as despesas primárias estão dentro do teto de gastos em 2017 e 2018, mas que a reforma da Previdência é importante para que esse limite de gastos seja viável no longo prazo.

Meirelles estimou que as despesas públicas em proporção do PIB está em 20% atualmente, de 10,5% em 1991, e pode chegar a 40% em 10 anos se a reforma da Previdência não for implementada.

Ele reforçou que a crise brasileira e seu atual estágio de recuperação são determinados por fatores domésticos. “Estamos em um momento importante, positivo, porque a economia brasileira está saindo da recessão. O importante é que não acontece por acaso, por um fenômeno cíclico, ou por componentes externos. Não houve grandes mudanças na economia internacional nos últimos anos, que entrou em trajetória de recuperação em 2009. A situação brasileira acontece por questões domésticas. O maior problema do Brasil era a trajetória fiscal.”

O ministro também voltou a creditar a frustração com a arrecadação aos últimos anos de recessão e à queda da inflação. “A inflação está abaixo da meta dois pontos, o que facilita a recuperação da economia, retoma o poder de compra e dá espaço para o Banco Central na política monetária, mas tem a parte negativa, pois afeta a questão fiscal de curto prazo.”

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Não esqueçam que foi ele que colocou a JBS no cenário político que a transformou numa “mega” empresa que chegou onde chegou. Ele tinha informações privilegiadas e abriu as portas da imoralidade.
    .Trabalhou para a JBS por um tempo.

    Curtir

  2. Este aí não ganha nem pra vereador de uma cidade de 20.000 habitantes. Carrasco, cruel e incompetente.

    Curtir