Juro do cheque especial chega a 287% em dezembro, o maior desde 1995

Saldo devedor dessa linha de crédito costuma recuar no fim do ano com o pagamento do 13º salário

Os juros do cheque especial durante o mês de dezembro ficaram em 287% ao ano, a taxa mais elevada desde 1995. Segundo Tulio Maciel, chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), em dezembro, quando os trabalhadores recebem o décimo-terceiro salário, o saldo devedor dessa linha recua, e as pessoas saem do cheque especial.

Maciel explicou também que a queda dos juros vista em dezembro é sazonal. “Trata-se de um movimento típico de final de ano por causa do cheque especial, e ajuda a entender por que as taxas de juros caíram no fim do ano”, disse. “Infelizmente, ao longo do ano, isso acaba subindo.”

No caso do rotativo do cartão de crédito, o movimento foi semelhante, mas com intensidade menor. “O que vemos com o cartão de crédito é que se a pessoa tem a oportunidade de se livrar de juro maior, é natural que ocorra. E isso acaba impactando taxa de juros média”, comentou.

Segundo Maciel, como o estoque do cheque especial cai e as taxas são bem mais elevadas do que a média do sistema, a média geral cai. Trata-se, segundo ele, de um efeito composição.

Leia também:

Inadimplência no crédito sobe e chega a 5,3% em 2015

Cinco maiores bancos do Brasil criarão gestora para estimular crédito

(Com Estadão Conteúdo)