Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Investidores da Finlândia mostram interesse em portos brasileiros

Grupo de 34 empresários vem ao Brasil com ministro das Finanças para conhecer as oportunidades de negócios no setor portuário; nesta terça-feira, grupo estará reunido pela manhã com a Antaq

Em meio às discussões sobre o texto final da Medida Provisória (MP) nº 595, conhecida como MP dos Portos, que ditará as novas regras para o setor portuário brasileiro, uma comitiva de empresários da Finlândia chega ao país acompanhada de seu ministro das Finanças, Jan Vapaavuori. Para entender mais a fundo a questão portuária, o grupo se reunirá nesta terça-feira com o diretor-geral da Agência Nacional de Transportes Aquaviário (Antaq), Pedro Brito, na sede da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em Brasília. O encontro contará também com a presença de um representante do Ministério de Minas e Energia, que, a princípio, será Altino Ventura Filho, secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético.

A pauta da reunião ficará concentrada na modernização da infraestrutura portuária brasileira, passando pela própria MP dos Portos que está em análise no Congresso, e as oportunidades de negócios no país. Serão 34 empresários que representam 22 empresas finlandesas, como as de tecnologia Outotec e a Konecranes – esta última, líder no setor de pontes rolantes. Farão parte da comitiva que chega ao país nesta terça-feira também empresas dos ramos de produção de petróleo, consultoria de projetos navais, advocacia especializada no setor marítimo, biotecnologia, segurança, finanças, produtoras de energia, entre outras.

A CNI explica que a presença de um representante do setor energético na reunião é importante porque há empresas, na comitiva, voltadas para o desenvolvimento de tecnologias do setor energético, assim como de mineração, setor fortemente dependente dos portos para escoar sua produção.

Discussões – Também nesta terça-feira, a comissão de senadores e deputados que discute a MP 595, comandada pelo senador Eduardo Braga (PMDB/AM), ouvirá algumas entidades do setor portuário, tais como a Associação Brasileira dos Terminais de Contêineres de Uso Público (Abratec), Associação Brasileira dos Terminais Portuário (ABTP) e Federação Nacional dos Operadores Portuários (Fenop). Na quarta-feira, haverá uma nova audiência pública, nas quais participarão grandes entidades, como Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e a própria CNI.

Com exceção da CNA, essas quatro entidades, junto com a Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib) e o Instituto Aço Brasil, reuniram-se na semana passada com o empresário Jorge Gerdau para chegar a um pleito comum de propostas para a comissão. O documento foi consolidado na quinta-feira passada, depois de quatro reuniões entre as entidades e Gerdau – e foi apresentado no mesmo dia à ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann e ao ministro da Secretaria Especial dos Portos (SEP), Leônidas Cristino.

“A ministra se mostrou muito disposta a estudar as propostas apresentadas, mas disse que os aperfeiçoamentos serão feitos no Congresso Nacional, já que agora é a comissão que decidirá sobre o que será modificado no texto”, contou ao site de VEJA o presidente da ABTP, Wilen Manteli. Outra fonte próxima da reunião disse que, possivelmente, Gleisi levará as propostas que achar mais coerentes ao senador Eduardo Braga, que faz parte da base aliada do governo.

Leia ainda: Dilma prepara terreno para aprovar MP dos Portos a qualquer custo

Congresso prorroga vigência da MP dos Portos

Nesta segunda-feira o presidente do Congresso Nacional, senador Renan Calheiros, prorrogou por 60 dias a vigência da MP 595. Pelo cronograma do relator da MP, senador Eduardo Braga (PMDB-AM), que ainda pode ser modificado, o relatório deve ser apresentado na comissão mista que analisa a matéria em 3 de abril. A intenção é de que esse texto seja votado na comissão até 10 de abril.