Índices de ações em NY têm pior desempenho do ano

Por Ricardo Gozzi

Nova York – Os índices de ações da bolsa de valores de Nova York fecharam em queda pelo quinto pregão consecutivo e registraram nesta terça-feira as maiores perdas de 2012 em meio aos crescentes temores em relação ao aumento dos custos de empréstimos de países europeus.

Apenas uma semana depois de ter alcançado o maior nível de fechamento desde dezembro de 2007, o índice industrial Dow Jones recuou 231,66 pontos (1,65%), encerrando em 12.715,93 pontos. Trata-se da maior queda tanto porcentual quanto em pontos do Dow desde 23 de novembro.

O índice Standard & Poor’s 500 caiu 23,61 pontos (1.71%), encerrando em 1.358,59 pontos. É a maior perda porcentual e em pontos do índice desde 8 de dezembro.

O Nasdaq, por sua vez, fechou em queda de 55,86 pontos (1,83%), a 2.991,22 pontos. Foi a maior perda em pontos desde 23 de novembro e a maior queda porcentual do índice desde 8 de dezembro do ano passado.

O declínio das ações em Nova York foi motivado pelo aumento dos custos de empréstimos na Europa, especialmente da Espanha e da Itália, mas acabou reforçado pelas dúvidas em relação à durabilidade da recuperação econômica norte-americana.

A queda foi generalizada, mas ações de empresas relacionadas a consumo, como a Best Buy e a Whirlpool registraram as perdas mais acentuadas, caindo 5,87% e 5,16%, respectivamente.

As perdas, porém, não vêm de hoje. Esta foi a quinta sessão seguida de queda nas ações em Nova York. A retração começou na semana passada quando investidores interpretaram que a ata da última reunião de política monetária do Federal Reserve Bank, o banco central dos Estados Unidos, sinalizava que não haveria novas medidas de estímulo à economia norte-americana no curto prazo. As informações são da Dow Jones.