IBC-Br, a prévia do PIB, recua 0,02% em maio

O indicador do BC comprova os números aquém do esperado do comércio e da indústria, que puxam para baixo atividade

O índice de atividade econômica do Banco Central (BC), chamado de IBC-Br, recuou 0,02% em maio, na comparação com abril, na série com ajuste sazonal. Segundo o BC, o índice caiu de 140,64 pontos em abril para 140,61 pontos no mês seguinte. Entre março e o abril, o índice havia subido 0,22%, primeira alta do ano, mas agora foi revisado para alta de 0,10%.

O desempenho foi melhor que as estimativas do mercado. Entre as 28 instituições ouvidas, as expectativas oscilaram de uma contração de 0,20% a um recuo de 0,90%, com mediana negativa de 0,45%.

Na relação com maio de 2011, o indicador prévio de atividade teve alta de 0,18%, já que há 12 meses marcava 140,36 pontos. Nos cinco primeiros meses do ano, o IBC-Br acumula alta de 0,40%, em comparação com mesmo período de 2011, e no acumulado de 12 meses, aumento de 1,27%.

Revisão – O BC também revisou os números dos meses anteriores. Para março, a revisão trouxe um dado melhor que o anterior: na comparação com fevereiro, o IBC-Br revisado teve contração de 0,17%, menor que a queda de 0,61% original. Para fevereiro, a revisão reduziu o crescimento ante janeiro para 0,39%, de uma expansão da atividade econômica de 0,56%.

Leia também:

BC reduz Selic para 8% ao ano, menor patamar da história

BB e Caixa anunciam nova rodada de corte de juros

Cenário – O resultado mostra a desaceleração da economia brasileira, a despeito dos estímulos do governo para driblar o mau tempo e o impacto do cenário internacional turbulento, especialmente na Europa. Na quarta-feira, o Comitê de Política Monetária (Copom), do BC, decidiu abaixar ainda mais os juros básicos do país, como mais um movimento para incentivar o consumo. Agora, a taxa Selic está em 8% ao ano, seu menor patamar histórico.

Na quarta também saiu o número de vendas do varejo, que caiu 0,8% em maio, menor queda desde novembro de 2008. Já a produção industrial, divulgada na semana passada, recuou 0,9% no quinto mês. A chamada ‘prévia do PIB’ incorpora estimativas para a produção nos três setores básicos da economia: serviços, indústria e agropecuária.

Na segunda-feira, o relatório Focus, do BC, que ouve economistas do mercado, mostrou a redução, pela nona semana consecutiva, da estimativa de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2012. De acordo com a pesquisa, a mediana das previsões de crescimento econômico caiu de 2,05% para 2,01%. Há um mês, economistas esperavam ritmo mais forte, de 2,53%.

(com Agência Estado)