Greve de bancários completa 30 dias e é a maior desde 2004

Categoria exige, entre outros benefícios, reajuste salarial de 14,78%; bancos oferecem 7% e abono de 3,5 mil reais

A greve dos bancários completa 30 dias nesta quarta-feira, tornando-se a maior desde 2004, informou em nota o sindicato da categoria em São Paulo, Osasco e Região. Segundo a organização, 42.000 trabalhadores se mobilizaram na segunda-feira, com 791 locais de trabalho fechados.

A reunião mais recente entre a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) e o Comando Nacional dos Bancários foi realizada no último dia 28. Na ocasião, houve proposta de reajuste de 7% e abono de 3.500 reais, com aumento real de 0,5% para 2017, proposta que “representa perda real de 1,9% no período de dois anos”, avalia o sindicato.

Para voltar às atividades, a categoria reivindica reajuste salarial de 14,78%, sendo 5% de aumento real para uma inflação de 9,31%, e benefícios como vales alimentação e refeição, 13ª cesta, auxílio-creche e 14º salário.

Nos últimos 12 anos, a categoria conseguiu aumento real acumulado entre 2004 e 2015 de 20,85% e de 42,1% no piso. São cerca de 512.000 bancários no Brasil, sendo 142.000 na base do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região, o maior do país.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Mauricio Reppetto

    Quando é que a Febraban, que adora impor suas vontades ao consumidor de serviços bancários, irá se impor aos sindicalistas????

    Curtir

  2. Claudio Cadalço

    não estão fazendo falta alguma… eu nem notei isso… será que não é hora dos bancos demitirem todos, assim acaba o sindicato dos bancários? ja podemos fazer tudo pela internet… e com caixas eletronicos… que tal demitir todos…???

    Curtir

  3. Napoleao Gomes

    Em breve os adesivos nos vidros dos bancos trarão os dizeres: ESTAMOS DESEMPREGADOS !

    Curtir

  4. A greve é politica dos dois lados.

    Curtir