Governo muda sistemática de definição de metas de inflação

A fixação deverá ocorrer até 30 de junho de 2017 para os anos de 2019 e 2020

O governo definiu em decreto publicado no Diário Oficial da União desta quinta-feira nova sistemática para a definição da meta de inflação e os respectivos intervalos de tolerância a serem fixados pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

O texto desta quinta atualiza os prazos para a definição das metas pelo CMN, mediante proposta do ministro da Fazenda.

Segundo o decreto, a fixação deverá ocorrer até 30 de junho de 2017 para os anos de 2019 e 2020, e até 30 de junho de cada terceiro ano imediatamente anterior para os anos de 2021 e seguintes.

Nesta quinta-feira, o CMN fará reunião extraordinária para definir a meta de inflação. O encontro será virtual. O ministro Henrique Meirelles e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, darão entrevista em seguida para comentar a decisão.

A expectativa é que o governo reduza a meta de inflação para 4,25%. A meta atual, em vigor desde 2005, é de 4,5% ao ano, com uma tolerância de 1,5 ponto percentuais para mais ou para menos. Pelo sistema de metas atual, o CMN fixa a meta de inflação que deve ser perseguida pelo Banco Central

(Com Estadão Conteúdo e Reuters)

 

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Isso é algo que sempre se faz e fez, mudar o método de acordo com os resultados desejados.

    Curtir

  2. antonio olympio costa e silva

    Eu só queria uma “dica” do Ministro: O nome do supermercado que ele faz as compras do mês. Eu cansei de trocar de supermercado! Não adianta! Sempre levo a mesma quantia em dinheiro, e avem cada vez mais vazia. Ministro pelo amor de Deus: Me dá o nome do seu supermercado.

    Curtir

  3. antonio olympio costa e silva

    Faltou uma palavra: “CESTA”(entre a palavra “A” e a palavra “VEM”.

    Curtir