Governo culpa greve e incêndio em Santos por queda em exportações

Protestos de caminhoneiros e explosão em tanques de combustível impactaram resultado, segundo diretor do Mdic

A greve dos caminhoneiros e o incêndio que atingiu tanques de combustível no porto de Santos (SP) contribuíram para a queda de 23,2% nas exportações no mês de abril, na comparação com o mesmo período do ano passado, de acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).

De acordo com Herlon Brandão, diretor de Estatística e Apoio à Exportação da pasta, as chuvas, que impediram principalmente o embarque de mercadorias a granel, também influenciaram o resultado, assim como a safra tardia da soja neste ano. “Esse é o segundo mês com superávit neste ano, o que era esperado no comportamento sazonal da balança comercial”, afirmou.

Em abril, houve queda ainda no valor do minério de ferro vendido para o exterior. Apesar de o volume exportado do produto ter subido 16,2%, houve uma redução de 43% no valor, decorrente da queda de 51,6% no preço para a exportação, que foi de 40,4 dólares por tonelada em abril. “O preço do minério de ferro está melhorando mas, ao persistir a recuperação, vamos sentir a melhora (na balança) só em junho”, completou.

Houve queda também no valor da soja exportada, de 32,7% em relação a abril do ano passado, e também no volume vendido ao exterior, que caiu 20,6% nessa comparação.

A balança comercial brasileira registrou em abril um superávit de 491 milhões de dólares, resultado de exportações de 15,15 bilhões de dólares e importações de 14,66 bilhões de dólares. Em abril de 2014, a balança havia tido um superávit de 506 milhões de dólares. O resultado do mês passado foi o pior para o período desde 2013.

(Com Estadão Conteúdo)