Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Golpe que usa nome da Uber já enganou 40 mil no Brasil

Link é encaminhado para e-mail das vítimas e solicita informações pessoais

Mais de 40 mil brasileiros já caíram no golpe que está oferecendo 100 reais de desconto em corridas pelo aplicativo da Uber. A campanha começou no último sábado, de acordo com a empresa de segurança digital ESET.

O golpe é aplicado por meio de uma mensagem de e-mail. Ao acessar o link disponibilizado, a vítima é redirecionada para uma página com a opção “Cadastre no Uber agora” e um aviso informando que “o desconto será utilizado automaticamente em casa uma de suas viagens”.

Ao clicar no botão, o consumidor é redirecionado a uma página de cadastro com layout semelhante ao da Uber. Para finalizar a operação, o usuário precisa cadastrar nome, CPF, telefone e dados do cartão de crédito.

Ao preencher as informações, surge um pop-up confirmando o ‘sucesso no cadastro’ e a vítima é redirecionada para a página oficial de login da Uber.

A Uber pediu aos clientes que tenham cautela. “Orientamos os usuários a nunca compartilharem os dados de senha do seu cadastro, uma vez que esses dados devem ser tratados com o mesmo cuidado que dados bancários, por exemplo”, disse a empresa em comunicado.

Dicas de segurança

O analista de segurança da Kaspersky Lab, Thiago Marques, aconselha aos internautas a não acessar sites antes de identificar como o link chegou até ele. “Muitas vezes sites falsos chegam por e-mail, que direciona o usuário para a página. Os criminosos também compram anúncios para apareceram na busca do Google, então quando o usuário pesquisa por FGTS, por exemplo, aparecem esses links antes do resultado”.

Uma visão crítica também é importante no mundo digital. “O usuário não pode ir no automático, tem que ter cautela. É a mesma coisa de quando você encontra alguém na rua e ela quer te vender um iPhone de 2 mil reais por 500 reais, o consumidor vai pensar: ‘Quem é esse cara?’, ‘Como consegue vender por esse preço?’, ‘Será que é roubado?’. Tem que ter o mesmo tipo de pensamento na internet”.