Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Gerdau investiu 150% mais no 2º tri, atingindo R$ 850

Por Fernanda Guimarães

São Paulo – Os investimentos da Gerdau no segundo trimestre de 2012 somaram R$ 850 milhões, montante que representa um aumento de 150% em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram investidos R$ 340 milhões. De acordo com a empresa, do total investido, 78% foram direcionados às unidades do Brasil. Em 2012, até agora, os investimentos da Gerdau somam R$ 1,5 bilhão.

A siderúrgica gaúcha confirmou, em seu balanço divulgado nesta quinta-feira, que aportará em ativo imobilizado, entre 2012 e 2016, R$ 10,3 bilhões para investimentos estratégicos e de manutenção. A empresa pondera, no entanto, que será “mais seletiva na avaliação dos projetos e flexível no cronograma de desembolso, sem deixar de aproveitar oportunidades de mercado”.

A Gerdau destaca que no fim do ano entrará em operação na Açominas um laminador de bobinas a quente, com capacidade de 770 mil toneladas por ano. Lembrou, ainda, que os investimentos para alcançar a meta de produção de 11,5 milhões de toneladas em 2014 estão em curso. Esse volume permitirá à empresa ser autossuficiente no insumo.

Desde o ano passado a Gerdau busca de um parceiro estratégico para a exploração comercial de suas minas de minério de ferro. A empresa produz minério de ferro nas minas de Miguel, Burnier, Várzea Lopes, Gongo Soco e Dom Bosco, todas localizadas em Minas Gerais.

A Gerdau frisou no relatório que acompanha os resultados que retomou o projeto de R$ 1,1 bilhão para a construção de uma usina no México, que seria realizada por meio de uma joint venture com a Gerdau Corsa para a produção de perfis estruturais. A capacidade instalada anual calculada é de 1 milhão de toneladas de aço e 700 mil toneladas de laminados. “Esse investimento possibilitará a substituição das importações desse produto no México e tem o início das operações previsto para o segundo semestre de 2014”, diz a empresa.

Entre os destaques para o terceiro trimestre, a Gerdau salienta que, em agosto, terão início as operações do alto-forno na Índia, com uma capacidade de 350 mil toneladas anuais. Na segunda etapa dos investimentos, informou a empresa, entrará em operação o novo laminador, com uma capacidade de 300 mil toneladas.