França confirma estagnação do PIB no segundo trimestre

Puxada pelo enfraquecimento da demanda doméstica, o PIB francês teve queda de 0,3 ponto porcentual entre abril e junho, de acordo com a agência Insee

A agência nacional de estatísticas da França (Insee) confirmou nesta quarta-feira que a economia do país não cresceu no segundo trimestre, pois os gastos dos consumidores se enfraqueceram. O crescimento da segunda maior economia da zona do euro parou após o atípico aumento de 0,9% no Produto Interno Bruto (PIB) no primeiro trimestre.

Os gastos dos consumidores, que respondem por mais da metade do PIB, diminuíram 0,7% no segundo trimestre em relação ao primeiro, enquanto a expansão dos investimentos desacelerou para 0,6%, contra 1,2% no trimestre anterior. No total, a demanda doméstica puxou o PIB para baixo em 0,3 ponto porcentual, de acordo com a agência Insee.

Projeções – O governo francês já respondeu à desaceleração do crescimento com o corte em sua previsão para o PIB, que caiu para 1,75% neste ano e no próximo. A previsão anterior era de um crescimento de 2,25% em 2012.

Contudo, desde que o governo anunciou medidas de austeridade para reduzir a dívida pública, a perspectiva econômica ficou ainda mais sombria. A confiança do consumidor atingiu mínimas nunca vistas desde as profundezas da última recessão, no começo de 2009, e a confiança das empresas mergulhou abaixo de sua média de longo prazo.

Muitos economistas agora esperam que o crescimento fique mais perto de 1% no próximo ano, enquanto os mercados financeiros continuam turbulentos, em meio ao aprofundamento da crise da dívida da Europa, com os bancos franceses, em particular, mostrando-se vulneráveis.

Austeridade – O pacote de austeridade do governo, de 12 bilhões de euros, será confirmado ainda nesta quarta-feira com a apresentação do orçamento para 2012, que deve incluir mais economias decorrentes do encerramento de isenções fiscais.

(com Agência Estado)