Focus: economistas reduzem projeções para o PIB de 2018

Para 2017, o mercado manteve a previsão de crescimento da economia brasileira em 0,39%

Embora o Banco Central tenha mantido a projeção de crescimento de 0,5% para a economia brasileira em 2017, os economistas do mercado financeiro seguem demonstrando pessimismo. A expectativa de alta para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano permaneceu em 0,39% no Relatório de Mercado Focus, divulgado nesta segunda-feira, 3. Há um mês, a perspectiva era de avanço de 0,50%.

Para 2018, o mercado mudou, para pior, a previsão de alta do PIB, de 2,10% para 2,00%. Quatro semanas atrás, a expectativa estava em 2,40%.

Em 22 de junho, o BC informou em seu Relatório Trimestral de Inflação (RTI) a manutenção em 0,5% da estimativa para o PIB em 2017. A agropecuária, com projeção de expansão de 9,6% no ano, é o principal fator de sustentação para a atividade. No RTI, o Banco Central também voltou a defender que os indicadores permanecem compatíveis com a estabilização da economia no curto prazo.

No relatório Focus desta segunda, as projeções para a produção industrial para este ano tiveram leve melhora. O avanço projetado para 2017 foi de 0,55% para 0,66%. Há um mês, estava em 1,09%. No caso de 2018, a estimativa de crescimento da produção industrial seguiu em 2,30%, ante 2,50% de quatro semanas antes.

No Focus, a projeção para o indicador que mede a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB para 2017 foi de 51,50% para 51,53%. Há um mês, estava e, 51,50%. Para 2018, as expectativas no boletim Focus foram de 55,07% para 55,17%, ante 55,20% de um mês atrás.

Balança Comercial

Os economistas do mercado financeiro alteraram suas projeções para a balança comercial em 2017. A estimativa de superávit comercial este ano foi de 58,25 bilhões de dólares (cerca de 192 bilhões de dólares) para 58,75 bilhões de dólares (aproximadamente 194 bilhões de reais), ante 56,40 bilhões de dólares (186 bilhões de reais) de um mês antes. Na estimativa mais recente do BC, atualizada no último Relatório Trimestral de Inflação (RTI), o saldo positivo de 2017 ficará em 54 bilhões de dólares (cerca de 178 bilhões de reais).

Para 2018, os economistas do mercado elevaram a projeção de superávit comercial de 45 bilhões de dólares para 46 bilhões de dólares (cerca de 152 bilhões de reais). Há um mês, a expectativa era de 43,06 bilhões de dólares (aproximadamente 142 bilhões de reais).

No caso da conta corrente, as previsões contidas no Focus para 2017 indicaram déficit de 22 bilhões de dólares (cerca de 72 bilhões de reais), ante 23 bilhões de dólares (76 bilhões de reais) de déficit de uma semana antes. Há um mês, a projeção estava em 24,32 bilhões de dólares (aproximadamente 80 bilhões de reais). Já a estimativa do BC para o déficit em conta em 2017 é de 24 bilhões de dólares (cerca de 79 bilhões de reais).

O mercado também alterou a projeção de rombo nas contas externas em 2018, de 34,50 bilhões de dólares (cerca de 114 bilhões de reais) para 33,80 bilhões de dólares (aproximadamente 111 bilhões de reais). Um mês atrás, o rombo projetado era de 36,95 bilhões de dólares 122 bilhões de reais).

Para os analistas consultados semanalmente pelo BC, o ingresso de Investimento Direto no País (IDP) será mais do que suficiente para cobrir o resultado deficitário, tanto em 2017 quanto em 2018. A mediana das previsões para o IDP em 2017 manteve-se em 75 bilhões de dólares (cerca de 248 bilhões de reais). Há um mês, estava em 78 bilhões de dólares (aproximadamente 257 bilhões de reais). A projeção atual do BC para este ano é de IDP de 75 bilhões de dólares (248 bilhões de reais).

Para 2018, a perspectiva de volume de entradas de investimento direto, de acordo com o Focus, seguiu em 75 bilhões de dólares (cerca de 248 bilhões de reais), ante 78,75 bilhões de dólares de quatro semanas antes (cerca de 260 bilhões de reais).

(Com Estadão Conteúdo)