EUA reagem com cautela a anúncio chinês de maior flutuação da moeda

Os Estados Unidos reagiram com cautela, neste sábado, ao anúncio feito pelo banco central chinês de que permitirá uma maior flutuação de sua moeda, tema que gera uma tensão bilateral.

“Os chineses têm feito progressos. Gostaríamos de ver mais movimentos” de flutuação do iuane, disse Ben Rhodes, vice-conselheiro de segurança nacional do presidente americano, Barack Obama, durante uma entrevista coletiva em Cartagena, Colômbia, onde acontece a VI Reunião de Cúpula das Américas.

A notícia “se enquadra em nossos pedidos seguidos à China para que tome decisões a fim de que sua moeda se valorize até chegar a um valor determinado pelos mercados”, disse Rhodes.

O banco central chinês anunciou que a margem de flutuação do iuane frente ao dólar, de 0,5%, será ampliada para 1% a partir de segunda-feira.