Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Emprego tem primeira alta em 22 meses

O número de admissões superou o de demissões em 35.612 vagas, segundo dados do Caged anunciados pelo presidente Michel Temer no Palácio do Planalto

A criação de empregos foi positiva em fevereiro pela primeira vez em 22 meses, anunciou o presidente Michel Temer em evento no Palácio do Planalto nesta quinta-feira. Foram criadas  35.612 vagas, resultado de 1.50.831 contratações e 1.215.219 demissões. É o primeiro dado positivo registrado no setor desde março de 2015. A informação é do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que leva em conta as demissões e admissões feitas pelas empresas.

Em janeiro, o emprego formal havia registrado um recuo de 40.864 vagas, e em fevereiro de 2016, o  saldo tinha ficado negativo em 104.582. As informações do Caged normalmente são divulgadas pelo Ministério do Trabalho, em coletivas destinadas à imprensa, mas o anúncio de hoje foi feito excepcionalmente pelo próprio presidente da República.

Além de falar do número do mês, o presidente mencionou o comportamento da inflação – que, segundo informações da equipe econômica, deve ficar abaixo do centro da meta de 4,5% neste ano -, a mudança de perspectiva da nota Moody’s na última quarta-feira e a concessão de quatro aeroportos na manhã desta quinta. “São quatro fatos para ilustrar o otimismo que deve guiar os passos do governo e da economia brasileira”, disse Temer.

O presidente também elogiou as medidas implementadas pelo seu governo e, sem citar diretamente as manifestações nem as greves de ontem, minimizou as reações sobre a reforma da Previdência. “Nós já estamos em um clima de estabilidade politica e social. Claro que, quando falamos da Previdência, há observações que serão feitas”, disse o presidente.

Em todo o ano passado, o país registrou perda de 1.321.994 em vagas, o segundo consecutivo de queda na comparação anual.

Setores

Segundo o Ministério do Trabalho,  o saldo positivo no emprego formal foi registrado em quatro dos seis  principais setores da economia. A principal contribuição veio do setor de serviços, que teve alta de 50.613 postos. O comportamento no mês foi impulsionado pelas contratações em educação, que normalmente ocorrem neste período do ano – mas o governo avalia que o resultado positivo em outros subgrupos de serviços é um sinal positivo. A indústria também contratou mais do que demitiu, pelo segundo mês consecutivo, com 3.949 vagas.

Para o coordenador de Estatística do ministério, Mário Magalhães, um aspecto positivo na indústria é o aumento em setores como vestuário e indústria têxtil, que mostra aumento de confiança. “São setores ligados ao salário, se esses empresários estão contratando, estão acreditando que o poder de renda do trabalhador vai subir”, explica.

Do lado negativo, os setores que registraram mais demissões que admissões em fevereiro foram o comércio (-21.194 vagas) e a construção civil (-12.857).

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. ADRIANOVIAJANTE007

    Pura propaganda para tirar do foco a miséria que quer nos legar com a reforma da previdência e trabalhista que não trará nada melhor para o povo, que não tem um hospital público sequer de qualidade para ser atendido, bem como universidades e nenhum benefício pelos impostos que pagamos. Temos sim aumento do crime e em especial da corrupção neste desgoverno mentiroso.

    Curtir

  2. Os números realmente se refletem, aqui mesmo tivemos muitos (re)contratados e setores voltaram a funcionar. Antes parecia que tinha fantasma nos prédios. Show de horrores.

    Curtir

  3. PAUNOMOLUSCO

    Isso é uma boa notícia, depois do cenário de terra arrasada deixado pelos 13 anos do (des)governo mais corrupto da nossa história.

    Curtir

  4. José Marcos

    São Paulo apresentou mais demissões do que contratações neste período.!

    Curtir

  5. Robson La Luna Di Cola

    Efeito FGTS. Logo acaba…

    Curtir

  6. Hattori Hanzo

    O que é um pęido para quem está todo cägado?

    Curtir

  7. Adilson Silva

    Isso é mentira, safados!

    Curtir

  8. Adilson Silva

    Essa Veja adora publicar matérias mentirosas pagas por esse governo podre! Porque não publicam a verdade?

    Curtir

  9. Conchavo entre governo e os meios de comunicação que recebem muita grana para tentar enganar o povo e tirar o foco das denúncias contra os que a imprensa apóia.

    Curtir

  10. Jorge Iório

    Temos que ter calma. O lulo-petismo deixou uma herança maldita e isso levará algum tempo para voltar à normalidade. Se querem reclamar, reclamem com o cramulhão de São Bernardo. Temer está recolocando o país nos trilhos novamente.

    Curtir