Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Efeito Grécia faz Bovespa se recuperar e voltar aos 53 mil pontos

O acordo acertado na reta final entre Grécia e credores garantiu uma sessão de ganhos à Bovespa que, assim, retomou o patamar de 53.000 pontos. A recuperação foi sustentada principalmente pelos ganhos de Vale e siderúrgicas, mas houve outros destaques, como a Gol, que anunciou novo acordo com a Delta Airlines, em que receberá 146 milhões de dólares da companhia americana.

O Ibovespa subiu 1,01%, aos 53.119,47 pontos, melhor nível desde o dia 26 de junho (54.016,97 pontos). Na mínima, marcou 52.591 pontos e, na máxima, 53.164 pontos (alta de 1,09%). No mês, voltou a acumular ganho, de 0,07% e, no ano, sobe 6,22%. O giro financeiro totalizou 5,41 bilhões de reais.

LEIA TAMBÉM:

Bolsas europeias fecham em alta influenciadas por acordo entre Grécia e credores

Mesmo com acordo, bancos gregos continuarão fechados

Nesta segunda, o mercado digeriu o acordo firmado entre a Grécia e seus credores. Ficou acertado um terceiro programa de resgate financeiro para os gregos, de até � 86 bilhões de euros, sob a condição de que o país adote medidas de austeridade, que incluem cortes no sistema previdenciário e a criação de um fundo de privatizações.

As empresas financeiras foram as mais beneficiadas pelo anúncio do acordo, tanto na Europa quanto no Brasil, onde os bancos terminaram em alta. Bradesco subiu 1,83%, Itaú Unibanco, 0,92%, Banco do Brasil, 0,59% e Santander, 1,31%.

No Brasil, Vale e siderúrgicas se destacaram depois que a mineradora anunciou que ter cortado a produção em 25 milhões de toneladas de minério de ferro de menor qualidade. A empresa também reduziu a compra de terceiros.

A notícia favoreceu as siderúrgicas, sobretudo CSN, que avançou 7,05% na terceira posição entre as maiores altas do Ibovespa. As ações ordinárias da Vale subiram 8,12%, na segunda posição, enquanto Vale PNA avançou 6,59%, na quarta.

(Com Estadão Conteúdo)